Euler de França Belém
Euler de França Belém

Ed Motta disse aquilo que a maioria tem vontade de falar mas é contida pelo populismo caboclo

Jornalistas brasileiros, aderindo ao populismo da política, começam a exigir que as pessoas não tenham preconceitos (todos têm, sobretudo os que dizem não ter). O jornalismo está se tornando polícia. No programa jornalístico “Em Pauta” — no qual a notícia é tratada como entretenimento, com leveza, informalidade e inteligência —, da Globo News, na quinta-feira, 9, Elisabete Pacheco, Guga Chacra (o mais indignado), Sérgio Aguiar e Gerson Camarotti criticaram, de maneira ácida, Ed Motta (como Roberto Pontual faz falta). Na verdade, fizeram discursos contundentes. O curioso é que nunca se viu atacarem um corrupto com tanta virulência. O músico e cantor disse que brasileiros que vão aos seus shows no exterior são “simplórios”, nada sabem sobre sua carreira e preferem uma música mais popularesca. O que há de falso neste aparente gesto de desprezo? Nada. Parte, talvez a maior parte, dos brasileiros que mora no exterior é mesma simplória. Eles vão para o exterior “fazer” a vida, trabalhando em empregos pesados (faxinas, entregas de comida, construção civil). Não estão lá para “melhorar” o gosto. Nem tem tempo para isso. Nem dinheiro.

(Ed Motta fará shows, entre maio e junho, na França, Alemanha, Holanda, Irlanda, Inglaterra, Itália, Áustria e Finlândia. Ele vai divulgar o álbum “AOR”.)

É provável que a maioria dos brasileiros que moram no exterior, sobretudo nos Estados Unidos, não seja mesmo adepta de uma música mais sofisticada. Por isso prefere a música sertaneja de um Zezé Di Camargo ou o romantismo de um Roberto Carlos. Aquilo que é simplório não mais pode ser chamado assim? Dizer a verdade é ofensivo?

Observe que Ed Motta não criticou todos os brasileiros. “Verdade seja dita, que meu público brasileiro de verdade na Europa é um pessoal mais culto, informado, essas pessoas nunca gritaram nada. O negócio é que vai uma turma mais simplória que nunca me acompanhou no Brasil. Público de sertanejo, axé, pagode, que vem beber cerveja barata com camiseta apertada tipo jogador de futebol, com aquele relógio branco, e começa a gritar nome de time”, lamentou Ed Motta. Suas palavras contêm alguma mentira? Nenhuma. É, mais do que uma crítica, uma constatação. Por que é vital discutir “gosto”? Com o único motivo de aperfeiçoá-lo, até mudá-lo. Mas fãs de Zezé Di Camargo e Luciano e de Leonardo dificilmente vão se tornar admiradores de Beethoven, Mozart, Chico Buarque, Billie Holiday e Elis Regina. Aquilo que é fácil de apreender — porque, no fundo, não precisa ser apreendido, e sim apenas ouvido, de maneira imediata e dispersiva — é mais prazeroso, para quem não tem paciência e o mínimo de cultura, do que uma arte que precisa ser ouvida, com atenção, e até estudada.

Pode até parecer arrogância, é provável que seja, o músico dizer que não vai cantar nem falar em português nos seus espetáculos. Ele sublinha que não vai cantar “Manuel”, seu primeiro sucesso. “O mundo inteiro fala inglês, não é possível que o imigrante brasileiro não saiba um básico de inglês. A divulgação da gravadora, dos promotores é maciça no mundo europeu, e não na comunidade brasileira”, frisou. Há, aí, algum preconceito ou discriminação? Na verdade, quem mora em qualquer país tem de aprender a língua local, senão fica deslocado, isolado, sem sintonia com as pessoas, com as ruas.

Não satisfeito com as primeiras estocadas, Ed Motta “orientou”: “Não gaste seu dinheiro e nem a paciência alheia atrapalhando um trabalho que é realizado com seriedade cirúrgica. Esse não é um show para matar a saudade do Brasil. É um show internacional. Que desagradável ter que toda vez dar explicações, e ter que escrever esse texto infame”.

Um internauta disse: “Realmente, ser popular no Brasil é para poucos”. A resposta de Ed Motta, numa rede social: “Pra poucos idiotas”. Alguém que não queira fazer média com o público, apresentando-se como politicamente correto, pode realmente discordar das estocadas de Ed Motta? Ligue os canais abertos de televisão e algumas rádios. As músicas são de baixíssimo nível, com linguagem chula, e com verdadeiro massacre da Língua Portuguesa. Os brasileiros não merecem isto, mas é o que ouvem e pedem para ouvir. Paulo Francis gostava de comentar que Lênin tentou oferecer obras de arte sofisticada para os camponeses e trabalhadores soviéticos, mas eles queriam Repin.

Como o Brasil está se tornando a segunda pátria do politicamente correto — a primeira são os Estados Unidos —, é saudável que alguém guarde o bom senso no violão e fale aquilo que precisa e deve ser dito. Ed Motta choca porque não mente.

 

21 Comment threads
20 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
27 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Rômulo

Ed Motta erra justamente onde quer criticar. Quer se mostrar culto, porém escreveu um texto completamente patético e mal elaborado, cheio de erros que qualquer pessoa que tenha se dedicado a um mínimo estudo social identifica e com um preconceito histórico vergonhoso e acima do que se poderia ter como “comum”. Evidentemente que, assim como qualquer outra ideia, nem tudo esta errado e ele se baseia em algumas questões até verdadeiras, como quando cita que o brasileiro tende a preferir mais o sertanejo que um Billie Holiday. Ele mostra sua ignorância quando diz que isso é ruim. Ora, são estilos… Leia mais

Ricardo Figueiredo

Porquê não pode musicalmente comparar um estilo com outro?

Silva

Seu texto foi muito bem escrito, mas se lembre que O SHOW É DELE, ELE FAZ PARA ATINGIR UM PÚBLICO X, E FAZ O QUE LHES AGRADA DURANTE A APRESENTAÇÃO. Logo, ir num show do Sepultura e implorar pra tocarem “Pais & Filhos” sem parar de forma que até atrapalhe o artista, só porque também é rock; seria patético e desrespeitoso da mesma forma. O povo brasileiro (não vou ficar explicando as exceções aqui) é sem educação e folgado, e sempre acha que qualquer lugar é casa de Mãe Joana. ACEITA QUE DÓI MENOS…

Rômulo

Seu exemplo é incorreto porque o sepultura nunca compôs pais e filhos. Já o Ed Motta cantou aquela música tanto a ponto de se tornar uma de suas mais populares. Ninguém pediu o Ed Motta pra cantar Xuxa; O povo pagou o ingresso e tem direito de pedir as músicas que gosta. E o número de pessoas que pediu é tão grande que o cara até começou a reclamar, deixando evidente que ele não quer fazer o show pra quem paga ingresso e sim pra ele mesmo. As vezes um artista não curte muito uma música mas seu público sim,… Leia mais

Silva

Cara, se o cara DEIXA BEM CLARO nos anúncios da sua turnê QUE TIPO DE SHOW vai fazer e vc compra o ingresso SABENDO o que pode encontrar lá, azar o seu. Não era evento corporativo, brazilian day, show pra gravação de DVD com pedida do público. ERA UM SHOW PLANEJADO pra QUEM É DE FORA, pra divulgar o material dele e seguir a carreira internacional. ACEITA QUE DÓI MENOS, e seja menos ignorante. Não dá pra ficar ele ficar desenhando coisas simples, óbvias. Sem mais…

Rômulo

Não interessa o que ele quer fazer ou como ele quer cantar, será que você não tem capacidade de entender isso? Você por acaso é idiota? Nós não estamos discutindo o que o Ed Motta QUER, nós estamos discutindo o que acontece quando um artista decide fazer uma mudança de estilo. Enquanto vocês atribuem o fato de que as pessoas continuam pedindo as músicas antigas e marcantes dele NUM SHOW DELE ao fato de serem “brasileiros idiotas”, eu estou dizendo que marcas e pessoas não podem simplesmente mudar de pele sem que seus clientes (i.e fãs) continuem relacionando seu nome… Leia mais

José Paulo Gomes

Mas este é exatamente o ponto onde a incoerência acontece meu querido. Você não conhece o trabalho dele bem como os tais fãs mencionados não conhecem, por isso pedem Manoel em uma turnê que tem em seu cartaz claramente Ed Motta Jazz and Blues, problema do Brasileiro é consumir o que não conhece apenas pelo deleite de consumir, o sobrinho do Tim maia no exterior não precisa da fama populista do tio pois é conhecido pelo seu próprio trabalho entendeu agora?

Rômulo

A culpa é dele mesmo por mudar de estilo e não ter a capacidade de compreender que o público não precisa mudar junto. É como o Latino resolver cantar gospel e se ofender quando povo pede “Renata” no show. O erro dele foi dar essa explodida em vez de compreender que muita gente conheceu e começou a gostar dele naquela época e por isso essa música marcou. Acabou com fama de mal educado.

Pedro Beaucaine

Trabalhei 20 anos nos meios da comunicação no Brasil. Conheço seu funcionamento nos US e na Europa. O brasileiro é simpático no Brasil, quando mora no exterior fica imbecil! Cultiva uma arrogância imparável! Toda aquela simpatia desaparece e ele se julga a pessoa mais “experta” do mundo. Ai vêm ô porque da importância daqueles 7 a 1!!! O individuo no Brasil nunca dançou um samba e na Europa? “como dizia o Jô Soares” – sou filho do candomblé (…) você assiste a um ridículo ballet de idiotas certos de estarem agradando et sobretudo impressionando a audiência! Eu compreendo perfeitamente o… Leia mais

simplorio

Rômulo, você é só mais um do típico brasileiro simplório a qual o Ed se refere. Vive à base de sertanejo e forró, como a maioria do brasileiro, simplório, alienado e desaculturado.

Beto Santos

Ed Mota é o sobrinho do Tim Maia que canta MANOEL. Só isso!!!!

Marcia

Ouvi falar desse “intelectual” atraves dessas referencias….Nada mais.

jarnetorezende

Olá Beto Santos. Sim, esse foi o sucesso que o consagrou, mas seu estilo é muito mais abrangente! Não pode ser centrado só em “Manoel”. Sabia que ele também faz trilhas para cinema? Tem o tema do desenho Tarzan, que foi traduzido para o português do Brasil e ficou lindíssimo! Abraço!

Luiz Fernando Vaz

Vou gritar “Toca ANA JÚLIA” no show de Los Hermanos e ser tratado com carinho por barbudinhos e moças de suvaco peludo.

mauro

Ele disse “país de merda” e, mesmo entendendo suas motivações, acredito que ele vai pagar por isso. Brasileiro é muito patriota. Patriota seletivo, mas patriota. E ele já se deu conta da besteira que escreveu, porque, com exceção do comunicado da turnê, ele já deletou quase tudo que escreveu como respostas aos comentários.

DalliMorais

O que é ser culto? O que é cultura? Assim como a beleza a cultura é relativa. Tenho um amigo que curte Rock e sabe tudo, ou quase, a respeito. Eu não gosto. Então toda a cultura, útil pra ele, não tem valor pra mim. Ouvir Ellis Regina é ser culto? Acho que não.. acho entediante. E apesar de compreender o momento histórico de suas músicas, acho maçante até demais. Mesmo pra mim que curto Wagner, Beethoven, Mozart, cantos gregorianos. Mas nunca chamei minha mãe que adora Ellis de ignorante pq não compartilha comigo meus cds de música clássica! Acho… Leia mais

simplorio

É porque você é mais uma brasileirinha simplória, como a maioria. tsc tsc

Ricardo da Mata

Sempre há um jornalista burro e reacionário para defender um artista com ataques de estrelismo…

Rodrigo Raüfferman

E você ataca o cara e não a opinião dele. Isso sim é burrice e falta de argumento.

Ricardo da Mata

Blá blá blá…

Rodrigo Raüfferman

Assinou embaixo. Pelo menos é coerente com o comportamento de quem não sabe discutir.

Ricardo da Mata

Deixe de ser simplório. Não há ideias a discutir, é só um jonalistazeco reaça falando de um cantor pop idiota. Eu discuto é tragédia grega.

Rodrigo Raüfferman

Tuuuuuudo bem então….

simplorio

Você é só mais um do típico brasileiro simplório a qual o Ed se refere. Vive à base de sertanejo e forró, como a maioria do brasileiro, simplório, alienado e desaculturado.

Carolina Zoneschain

Sugestão para o repertório da turnê internacional. “Eu não sou Friboi mas tô na moda e a mulherada gosta e a mulherada gosta do papai. Sou um gordinho gostoso, gordinho gostoso, gordinho gostoso…”

Jorge Luiz Frascino

Só falou verdades.

Jorge Luiz Frascino

Ed Motta não é funkeiro

Marcelo Lima

Mas iniciou no Funk….Conexão Japeri.

VR5

Parabéns, Euler! O “politicamente correto” já está enchendo o saco!!! :)

Rodrigo Raüfferman

Concordo plenamente com o Ed Motta. E a maioria, em vez de tentar contra argumentar, ataca o cara no lugar de atacar o que ele falou. Isso é assinar embaixo esperneando.

Yasmin Reis

O melhor texto que poderia ser escrito, assim como o próprio Ed, falou exatamente a verdade.

Greco

Simplório eh ir num show do Ed mota, sentar o rabo numa cadeira e ficar escutando ele sonorizar “mmmm uuuueell bijuterias ué elle ueeellll”

simplorio

Você é só mais um do típico brasileiro simplório a qual o Ed se refere. Vive à base de sertanejo e forró, como a maioria do brasileiro, simplório, alienado e desaculturado.

Stella Furquim

Pois eh, na epoca nao entendi a grande onda por tras da polemica, afinal, ele constatou a verdade e depois simplesmente deu uma otima sugestao: “nao percam tempo ou dinheiro”. E como fa, desde o Brasil do Ed Motta, acompanho sua pagina e vi que centenas de pessoas tinham tempo de sobra para ofender e perseguir. E pior, sem mal ter lido (ou compreendido) o que ele dizia…. E vejo que aqui continuam… Alguem que diz que o Ed Motta eh somente o sobrinho do tambem brilhante Tim Maia que canta Manuel, eh se mostrar ignorante para o valor musical… Leia mais

Marcio Figueroa

Acho que ele tem razão em muitas coisas, mas certa vez o vi no programa esquenta da rede globo dizendo que gostava de ouvir Belo cantar. Ali ele tava fazendo uma média enorme, por que dava pra ver que ele não ouve isso. Ele tem que manter uma linha de conduta, e não dizer que gosta de algo por ser conveniente pra ele.

Guto Capucho

O verdadeiro gênio não é obrigado a ter coerência. Ele falou o que pensava e não deveria ter se desculpado. Falou, tá falado. Ele pode não ser o gênio da comunicação, falou o que quis e levou chumbo, mas na parte musical hoje é um dos poucos músicos que tem o que dizer (musicalmente) e sabe como dizer (dono de técnica primorosa), ou alguém duvida disso? Pergunte para qualquer músico de verdade (nãopara tocador de violão em boteco de bêbado às 3 da manhã) se o Ed Motta não manja dos paranauê?

Ivan

gostaria de ouvir a arte musical dos críticos

Jessé Gomes

Porque estamos perdendo a noção do ABSURDO em todo os sentidos?

Ton Moura

Sim, as músicas dele conhecidas pelo povão, são simplórias e foram lançadas em programas popularescos. Quantas vezes ele foi a programas de auditório pra divulgar seus trabalhos. E sempre com as tais “músicas de trabalho”. Se as pessoas não conhecem bem o seu trabalho é culpa de quem? O povão não sabe quem é Egberto Gismonti, mas, os europeus sabem. Celso Machado, Paulinho Oliveira, Bebel Gilberto só sao conhecidos de quem procura coisas fora da mídia popularesca. Não é atacando a ignorância do povo que vai melhorar algo. Constatar que o povo é desinformado não basta. Se ele quer dar… Leia mais

Felipe Felipe

Ed Motta, si vienes a Chile nuevamente, aparte de saber hablar español, debes cantar en Portugués, el inglés bajo el concepto sonoro tuyo está muy pero muy tocado.Y el AOR que eacá escuchamos en es portugués.Ni se te ocurra cantar en castellano.

Pedro Beaucaine

Trabalhei 20 anos nos meios da comunicação no Brasil. Conheço seu funcionamento nos US e na Europa. O brasileiro é simpático no Brasil, quando mora no exterior fica imbecil! Cultiva uma arrogância imparável! Toda aquela simpatia desaparece e ele se julga a pessoa mais “experta” do mundo. Ai vêm ô porque da importância daqueles 7 a 1!!! O individuo no Brasil nunca dançou um samba e na Europa? “como dizia o Jô Soares” – sou filho do candomblé (…) você assiste a um ridículo ballet de idiotas certos de estarem agradando et sobretudo impressionando a audiência! Eu compreendo perfeitamente o… Leia mais