dora kramer

A colunista Dora Kramer, do “Estadão”, ficou conhecida por cobrar transparência de políticos. Recentemente, pediu licença do jornal, mas sem esclarecer seus motivos. Daí começaram as especulações. Há várias versões.

Primeiro, estaria enciumada com a chegada de Eliane Cantanhêde, que, de fato, tem feito análises precisas do quadro político nacional. Ressalve-se que os estilos são diferentes e o jornal poderia agasalhar as opiniões das duas colunistas sem nenhum problema. Segundo, estaria com problemas de saúde — o que ela nem o jornal confirmam. Terceiro, teria rejeitado uma proposta para escrever apenas nos fins de semana. Hipótese também não confirmada. Quarto, sua cabeça teria sido pedida pelo governo petista. Hipótese implausível, porque “O Estado de S. Paulo” tem se comportado de maneira crítica, em bloco, em relação ao governo da presidente Dilma Rousseff, do PT.

O que está acontecendo de fato não se sabe, pois Dora Kramer, rainha da transparência, nada diz, contrariando seus notáveis comentários.