Na quinta-feira, 2, o “Pop” publicou uma reportagem precisa sobre a derrota do Goiás para o Emelec por 1 a 0. Raphaela Ferro, mostrando que entende mesmo de futebol, fez um retrato preciso da partida. A repórter frisa que graças ao goleiro Renan a vitória do time equatoriano não foi mais elástica. Há um problema, minúsculo, porque, na verdade, a jornalista está interpretando, e não sugerindo que isto aconteceu exatamente: “Na oportunidade que Mondaini teve, pouco depois, Renan tremeu, mas o atacante mandou para fora”. Vendo o jogo pela TV e sem entrevistar o jogador, como Raphaela pôde perceber que ele tremeu?

“O Hoje” publicou reportagem, assinada pelo experimentado Edivaldo Barbosa. Há um problema. O repórter diz que Jordan Plata (o “Pop” escreve Jordan Jaime, como os jornais equatorianos) “fraturou a perna direita” e, em seguida, informa que “quebrou o pé”. O jornal equatoriano “El Comercio” informa que o jogador de 19 anos fraturou o pé direito. O “Pop” diz que ele fraturou “o pé”, como se tivesse apenas um pé. O “Pop” assinala que o gol ocorreu aos 42 minutos do segundo tempo. “O Hoje” garante que o gol foi feito aos 41 minutos.

Já o leitor do “Diário da Manhã” ficou a ver navios. O jornal não deu uma linha sobre o jogo e, mesmo, sobre o resultado. Optou por publicar reportagens frias sobre Vila Nova e Atlético, ignorando a principal notícia do dia e sobre o time mais importante do Estado no momento, que está disputando a Copa Sul-Americana.