Euler de França Belém
Euler de França Belém

Daniela Pinheiro é a nova diretora de redação da revista “Época”

Autora de algumas das melhores reportagens da revista “Piauí”, a jornalista é a substituta adequada para João Gabriel de Lima

O jornalismo investigativo da revista “Época”, se não supera, aproxima-se do da revista “Veja”. A passagem de João Gabriel de Lima pela publicação do Grupo Globo talvez não tenha fortalecido o jornalismo de investigação, que já era forte, mas contribuiu para dotá-lo de um texto mais qualitativo, mais denso e, até, mais literário. Jornalista e escritor, Lima pediu demissão. Mas tudo indica que o diretor-geral da Editora Globo e da Infoglobo, Frederic Kachar, ao contratar Daniela Pinheiro para o cargo de diretora de redação da “Época”, não planeja mudanças radicais.

Mas há uma diferença, quiçá sutil. Lima não parece ser o típico jornalista “cavador” de notícias quentes — é mais um editor-redator. Já o editor-chefe, o segundo na hierarquia de “Época”, Diego Escosteguy, é um repórter da linhagem dos investigativos. Daniela Pinheiro, além de primar pela qualidade do texto — era uma das mais qualificadas profissionais da revista “Piauí” —, é uma repórter de primeira linha. Suas reportagens na Piauí, longas e nuançadas, mas não são tediosas. Muitas vezes, pegava um assunto batido, o revisava e descobria novos caminhos. A substituição, portanto, foi muito bem feita. Daniela Pinheiro é uma das jornalistas mais completas de sua geração.

Anderson Scardoelli, do Portal dos Jornalistas, informa que “Diego Escosteguy seguirá como contratado do Grupo Globo” (a tendência é que Daniela Pinheiro monte seu time, ao menos no nível de comando). A sede da “Época” será transferida de São Paulo para o Rio de Janeiro. Sua redação será integrada às redações dos jornais “O Globo” e “Extra!”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.