Augusto Diniz
Augusto Diniz

Confundiram ator Sandro Rocha, de “Tropa de Elite”, com miliciano em foto com Jair e Flávio Bolsonaro

Deputada Maria do Rosário (PT-RS) caiu na informação falsa e divulgou imagem nas redes sociais como se presidente e senador estivessem ao lado de criminoso foragido

Não bastasse a mudança na Lei de Acesso à Informação, com a possibilidade de servidores comissionados dos órgãos do governo federal incluírem documentos na lista de secretos e ultrassecretos, o que garante a não divulgação do conteúdo por até 25 anos, o jornalismo precisa conviver diariamente com as montagens e informações falsas que circulam principalmente nas redes sociais na internet e aplicativos de conversa e troca de arquivos.

A era da pós-verdade, ódio ao conhecimento e das bolhas virtuais faz surgir um número impossível de acompanhar de notícias falsas e informações distorcidas para todo lado. Toda semana temos publicações que colocam em situações desconfortáveis as pessoas denunciadas com base em dados falsos ou quem cai naquele conteúdo e o compartilha.

As vítimas da vez foram o presidente Jair Bolsonaro (PSL), o ator Sandro Rocha, que interpretou o personagem Sargento Rocha no filme “Tropa de Elite” (2007) e Major Rocha em “Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora É Outro” (2010), e o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). Com as suspeitas de envolvimento de pai e filho com as milícias, seja lá que tipo de relação venha a poder existir – se for de fato comprovada -, uma foto publicada no Instagram do artista em 29 de setembro de 2018 foi usada para difundir uma informação falsa.

Foram inseridas as frases “O amigo do meio está foragido, procurado pelo assassinato de Marielle [Franco – vereadora do Rio assassinada em 14 de março de 2018]” e “A gente não tem bandido de estimação, temos bandido mesmo” junto à foto de Jair, Sandro e Flávio em uma postagem nas redes sociais. O conteúdo da publicação dá a entender que se trata de Adriano da Nóbrega, ex-capitão do Bope, foragido e investigado por integrar a milícia Escritório do Crime, suspeita de envolvimento na morte da parlamentar e seu motorista, Anderson Gomes.

A publicação e o compartilhamento da informação falsa superou 2,5 mil postagens nos últimos dias. Uma das pessoas que divulgou o material com as denúncias infundadas foi a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS). De acordo com a agência de checagem de informações Aos Fatos, o ator Sandro Rocha disse que processaria Maria do Rosário, que pediu desculpas e apagou a postagem compartilhada no Twitter.

Sandro chamou a deputada de “irresponsável” ao informar que entraria com ação na Justiça contra Maria do Rosário.  “O sujeito no meio dos Bolsonaros é ator, não miliciano. Peço desculpas ao ator. Quem me acompanha sabe que não faço isso. Foi um erro, não má fé. Não quero prejudicar o rapaz. Apago porque gostaria que fakes sobre mim também fossem apagadas”, escreveu a petista no Twitter.

O ator respondeu no dia 25 de janeiro com um vídeo em seu canal no YouTube e no Facebook, no qual voltou a dizer que vai processar a deputada federal. “Tive que parar o meu dia para vir aqui por conta dos acontecimentos e vou explicar para vocês o que está acontecendo, porque vou processar a Maria do Rosário, essa petista que não representa os interesses do povo brasileiro.”

Mesmo que suspeitas de envolvimento de Flávio Bolsonaro e a defesa de Jair Bolsonaro em discursos e entrevistas feitas à atuação das milícias levantem dúvidas sobre a imagem eleitoral de candidatos corretos sem envolvimento com o mundo do crime e seja questionada, a foto tem sido usada de forma distorcida e com informações falsas. Nem mesmo trata-se de Adriano da Nóbrega, mas do ator Sandro Rocha, que nada tem a ver com os dados divulgados até o momento sobre o caso Coaf [Conselho de Controle de Atividades Financeiras] que envolve especificamente os gabinetes de Flávio na Assembleia do Rio até outubro de 2018 e de Jair na Câmara no mesmo período.

O Coaf identificou um depósito de Raimunda, mãe de Adriano da Nóbrega, na conta de Fabrício Queiroz, ex-assessor parlamentar de Flávio Bolsonaro, policial militar da reserva e amigo da família do presidente da República, no valor de R$ 4,6 mil. A foto de Jair e Flávio com o ator de “Tropa de Elite” é a segunda que a Aos Fatos desmente em menos de sete dias que envolve o filho do chefe do Executivo nacional.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sandoval Neto

Pois é , o Sandro Rocha só é vendedor de Telex Free , não chegou a ser miliciano