13720_ggPatrícia Galvão ficou famosa (depois, desapareceu) porque, além de escrever um romance proletário (“Parque Industrial”), foi mulher de Oswald de Andrade, o mais irreverente dos poetas da Semana de Arte Moderna de 1922. O livro “Pagu — Vida e Obra” (Companhia das Letras, 424 páginas), organizado pelo poeta e crítico Augusto de Campos, ajuda a compreendê-la. É um relançamento.

O livro foi lançado primeiramente pela Editora Brasiliense, em 1982. A Edição da Companhia das Letras é revista e ampliada, incluindo novos textos e dezenas de fotografias e ilustrações.