Uma coleção da JBC vendeu 600 mil exemplares. Entre seus sucessos estão “Cavaleiro do Zodíaco”, “Akira” e “Fullmetal Alchemist”

A Editora JBC (Japan Brazil Communication), referência em mangás (quadrinhos japoneses), foi adquirida pelo Grupo Companhia das Letras (de capital alemão, mas dirigida pelo brasileiro Luiz Schwarcz). Luiza e Marina Shoji, filhas do fundador da JBC, vão continuar na direção da editora. Elas ficaram com 30% da empresa.

Desde 2000, a JBC lançou 200 títulos de mangás no Brasil. “Cavaleiro do Zodíaco”, “Akira” e “Fullmetal Alchemist” são alguns de seus maiores sucessos. A coleção de My Hero Academia alcançou a cifra extraordinária de 600 mil exemplares vendidos.

Numa nota Luiz Schwarcz assinalou: “Os mangás têm uma presença cada vez mais forte na cultura contemporânea e a chegada da JBC, uma referência na categoria, aumenta a nossa diversidade literária”.

A diretora-geral da JBC, Marina Shoji, disse, em nota: “Estamos vivendo uma fase muito positiva (…) e sentimos a necessidade de procurar alternativas que nos permitissem aproveitar essa oportunidade da melhor forma”.

Marina Shoji, diretora-geral da JBC

A tendência é que, com mais capital e possibilidade ampliada de distribuição, a JBC se torne uma potência nacional e, até, global dos quadrinhos.

Apesar da crise, o negócio entre as duas casas editoriais mostra a vitalidade do setor editorial brasileiro.