Euler de França Belém
Euler de França Belém

Colunista de O Popular erra e obriga Bismarck a levantar-se do túmulo para corrigi-lo

A Alemanha não foi criada há menos de um século, ao contrário do que diz crítico de gastronomia 

Breno Faria 3

Roberto Civita, um dos criadores da Editora Abril, dizia que jornalista não sabe “fazer contas”. Breno de Faria (foto de seu Facebook), crítico de gastronomia de “O Popular”, é médico, não é jornalista, mas parece que também não é amigo da velha senhora matemática. O editor da coluna “Prato do Dia” escreve: “Países tão consolidados e sonoros como Áustria, Hungria, República Checa, Turquia e até a própria Alemanha têm menos de um século de existência”.

Tratemos apenas da Alemanha e deixemos os outros países (a tese de Breno Faria é das mais problemáticas). Se considerarmos que a Alemanha foi “criada” em 1871, com Otto von Bismarck (1815-1898), é evidente que o país não “tem menos de um século”. Façamos as contas: 2016 – 1871 = 145 anos. Portanto, o país tem um século e 45 anos. Bismarck possivelmente, se pudesse, sairia do túmulo e, com sua veia autoritária, daria um corretivo no colunista do “Pop”.

Há outro problema: Breno Faria escreve que o solo dos países citados “viram vikings, romanos, germânicos, francos, tártaros, árabes, otomanos, nazistas, comunistas”. Parece que o colunista acredita — ao inclui-los entre romanos, germânicos, francos, tártaros, árabes e otomanos — que nazistas e comunistas são “povos”.

Breno Faria embarca noutro conto de fadas. Ele afirma que, no momento, as fronteiras físicas dos países são irrelevantes. Não são. Basta verificar o que está ocorrendo na própria Europa — com as nações fechando fronteiras, tentando criar cercas, para evitar a entrada de imigrantes. Até países mais abertos, como a Suécia, estão expulsando imigrantes. A internet rompe fronteiras, mas os Estados Nacionais estão aí — mais sólidos do que nunca. O historiador Eric Hobsbawm, marxista inglês, alertou sobre isso com frequência.

O que surpreende é que Breno Faria, além de escrever bem, é cuidadoso com a divulgação de informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.