Euler de França Belém
Euler de França Belém

Cate Blanchett vai encenar peça de Tchekhov na Broadway

A peça “O Presente” será levada ao teatro no fim deste ano. A atriz ganhará o Tony? É provável

Cate Blanchett-broadway--620x389

Cate Blanchet é, ao lado de Mery Streep, a grande atriz de Hollywood. É uma espécie de Robert de Niro do mundo feminino. Os dois têm cara de borracha, quer dizer, os papéis nos filmes “foram” escritos para eles. Encaixam como uma luva feita sob medida. Por isso fica-se com a impressão de que os personagens ganham vida e os atores quase desaparecem. No caso de Robert de Niro, quando exigem pouco dele, porque a mão do diretor é frouxa ou o papel é flácido, é certo que sua presença se impõe, acima do personagem. Aí o grande ator fica com jeito de canastrão (todo bom ator às vezes se torna canastrão). Mais jovem, numa fase de afirmação de seu imenso talento, Cate Blanchet, tão bela quanto enigmática, não é dada à canastrice. É raro um filme em que dá pouco de si, em que usa a experiência para suprir a falta de vontade de encená-lo.

Tchekhov e tolstoi-2

Na edição de segunda-feira, 1º, o jornal “ABC”, de Madri, publica a reportagem “Cate Blanchett debutará en Broadway com una obra de Chéjov” (http://www.abc.es/cultura/teatros/abci-cate-blanchett-debutara-broadway-obra-chejov-201602011312_noticia.html). Se a atriz é ótima no cinema, imagine no teatro e interpretando uma peça de Anton Tchekhov, talvez o maior contista de todos os tempos, acima de Guy de Maupassant (que é fabuloso). Quem não gostaria de vê-la no teatro? Tchekhov, se pudesse, sairia da Rússia e iria aos Estados Unidos só para vê-la. O autor de “A Gaivota”, “As Três Irmãs”, “O Jardim das Cerejeiras” e “Tio Vânia” apreciava o teatro e o entendia como poucos (casou-se com uma atriz). Era um dramaturgo poderoso, até hoje encenado em quase todo o mundo. A despeito disso, o intransigente Liev Tolstói, apesar de apreciar seus contos, disse-lhe: “Sabe, eu não consigo tolerar Shakespeare, mas suas peças são ainda piores”. Felizmente, Tolstói estava errado tanto sobre Shakespeare quanto sobre Tchekhov (a foto acima registra Tchekhov ao lado de Tolstói).

Em cartaz nos cinemas, com o filme “Carol” (baseado numa história de Patricia Highsmith), Cate Blanchett quer ir além do cinema, como os bons atores. Ela atuou em quatro peças, mas nenhuma na Broadway, sobretudo nunca representou Tchekhov no palco. No final deste ano, atuará na peça “El Presente”, de Tchekhov, exatamente na Broadway.

“O Presente” será dirigida por Andrew Upton, marido de Cate Blanchett, e terá no elenco Richard Roxburgh e integrantes da Companhia de Teatro de Sidney. A peça alcançou imenso sucesso na Austrália, terra natal da atriz.

A reportagem do “ABC” diz que “‘O Presente’ foi a primeira obra de Tchekhov e marcou seu estilo e os temas de seus obras posteriores, de ‘A Gaivota’ ao ‘Jardim das Cerejeiras’”. Anna Petrovna, apontada como um dos personagens mais complexos, será o personagem interpretado por Cate Blanchett.

“ABC” especula se poderá ganhar o prêmio Tony. É possível.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.