Elder Dias

Capas de diários goianos sobre vexame na Copa são elogiadas

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Apesar dos senões editoriais — que geralmente têm menos a ver diretamente com a área de Arte do que com a cúpula diretiva da redação —, as capas de “O Popular” durante a Copa mantiveram um padrão de bom gosto, em sua maioria.

A tradição de boas capas já vem de certo tempo, tendo começado ainda com Wilson Silvestre, veterano jornalista e também ex-integrante da equipe do Jornal Opção, e sido mantida com André Rodrigues. O editor-executivo é o responsável pelo aprimoramento do trabalho iniciado por Silvestre e que resulta frequentemente em boas citações do jornal em sites mundo afora. Foi o que ocorreu com a capa da quarta-feira, 8, intitulada “Furada histórica”, em que a bola Brazuca, um dos ícones do Mundial de 2014, aparece murcha, simbolizando a vergonhosa eliminação brasileira. A primeira página com o grafismo foi uma das dez que obtiveram destaque do Newseum, o Museu da Notícia, nos Estados Unidos.

Os goianos mereceram holofote internacional também no site da “The New Yorker”. Em meio a outras seis publicações brasileiras — entre elas “O Globo” e “O Estado de S. Paulo” — e sob o título “Humiliation, honor, and Brazil”, estava a já citada capa do Pop (embora sem aparecer a logo do jornal) e a de “O Hoje”, cujo título foi “Mineirão, 8 de julho de 2014”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.