Euler de França Belém
Euler de França Belém

Blog de José Luiz Bittencourt deve fazer sucesso porque faz crítica sem concessão

O jornalista pode até não agradar os criticados, mas é preciso ler o que escreve com atenção e bom senso

José Luiz Bittencourt foi editor-chefe do Jornal Opção e presidente da Agência de Comunicação do governo de Goiás (Agecom)

Numa era na qual não dá para esconder nada — daí as fotos de famosos que são exibidas na internet, às vezes por descuido mesmo, noutras, quem sabe, por descuido interessado —, o jornalismo que esconder as más notícias dos aliados políticos e dos amigos vai ficar para trás. Porque blogs, com um ou dois repórteres, darão a notícia e obterão, cada vez mais, um acesso extraordinário. Vão ganhar os veículos que publicam tudo e sempre, ainda que de maneira cuidadosa, ouvindo as versões de todos os implicados pela reportagem ou nota. Os que “escondem” notícias, numa seletividade interessada, vão acabar desagradando até os aliados — que, sim, terão de ler as informações no site que avaliam como “adversário” e, até, “inimigo”. Há jornais que se tornam tão oficiais, tão descaradamente oficiais, que nem mesmo os patrocinadores do oficialismo continuam a lê-lo. Porque se tornam desinteressantes.

O jornalista José Luiz Bittencourt Filho, que já foi editor-chefe do Jornal Opção e é um profissional de primeira linha — falo de cátedra, porque trabalhamos juntos durante alguns anos e posso atestar que poucos profissionais são tão perspicazes e inteligentes —, pôs no ar o “Blog do JLB”, especializado em análises políticas (mas não só). Destaco quatro aspectos.

Primeiro, as análises são críticas, posicionadas e sólidas. Sobram críticas para todos os principais políticos — como o senador Ronaldo Caiado, o governador José Eliton e o deputado federal Daniel Vilela, os três pré-candidatos a governador pelo DEM, pelo PSDB e pelo MDB. Os incautos e, até, os cautos dirão: trata-se de “jornalismo independente”. Na verdade, jornalismo independente é como o Curupira — todo mundo sabe que “existe”, mas ninguém nunca viu e, por certo, jamais verá. O que José Luiz Bittencourt faz, e muito bem, são análises percucientes dos fatos políticos. Sua análise é posicionada — não é mera datilografia, como está na moda em alguns jornais (jornalismo excessivamente factual é datilografia e curiosamente até jornais que eram analíticos estão se tornando factuais, perdendo a pega original).

Segundo, José Luiz Bittencourt pensa… pela própria cabeça. Não sai repetindo argumentos. Pelo contrário, pensa e expressa com qualidade, com um texto claro e preciso, suas ideias e interpretações dos fatos. Não vai agradar muitos, quiçá a maioria, talvez todos. Vale sempre a pena ler, de maneira cuidadosa e com espírito livre, o que ele escreve. A crítica, ainda que corrosiva, às vezes ilumina mais do que os melhores e mais doces elogios.

Terceiro, José Luiz Bittencourt escreve muito bem. O texto do jornalista mescla a escrita clássica, luminosa, com a linguagem moderna — simples, mas não simplista.

Finalmente, menciona escrupulosamente outros jornalistas que analisaram fatos que está comentado. Nas províncias, e não se fala exatamente de Goiás, é praxe extrair ideias e informações de um veículo de comunicação, mas sem citar a fonte. José Luiz Bittencourt menciona, por exemplo, Afonso Lopes e Divino Olávio.

O “Blog do JLB”, que só está começando, tende a fazer sucesso, sobretudo porque é crítico. Mas precisa ter persistência, ampliar a qualidade e mantê-lo atualizado.

Link para conferir o trabalho do jornalista: http://www.blogdojlb.com.br/

Deixe um comentário