Euler de França Belém
Euler de França Belém

Biografia revela que Hilda Hilst “cortejou” Marlon Brando em Paris

Mas o “senhor Kafka”, citado pela poeta, “esfriou” o contato com o belo ator americano

Não é uma biografia exaustiva, mas é um começo. “Eu e Não Outra — A Vida Intensa de Hilda Hilst” (Tordesilhas, 232 páginas), de Laura Folgueira e Luisa Destri, rastreia a vida de uma escritora que “cresce” com o tempo.

Poeta de qualidade, Hilda Hilst quis ser freira — e até “santa” (das menos pudicas, é certo) —, mas cedo descobriu que sua vocação era a literatura, à qual se dedicou de corpo e alma, produzindo uma obra densa e bem cuidada.

Bonita na juventude, era excessivamente cortejada. Para afugentar os galanteadores, sugeria conversas sobre o escritor tcheco Franz Kafka, o que, claro, desagradava a maioria, que certamente pensava: “Bela, mas louca”. Na verdade, bela e lúcida.

Em 1957, em Paris, disfarçando-se de jornalista, correu atrás do ator Marlon Brando. Chegou a perguntar sobre Kafka. Irritado, o americano redarguiu: “Não vou pensar no senhor Kafka”. No caso, a escritora estava menos interessada no autor de “O Processo” e muito mais interessada no belo homem do cinema.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.