Euler de França Belém
Euler de França Belém

Antony Beevor diz que negros lutavam bravamente contra soldados nazistas nas Ardenas

A 969ª Artilharia de Campo recebeu a primeira Citação de Unidade por Distinção dada a uma unidade de combate negra na Segunda Guerra Mundial

O inglês Antony Beevor é um dos maiores historiadores da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). “A Batalha das Ardenas — A Cartada Final de Hitler” (Crítica, 544 páginas, tradução de Luis Reys Gil), seu mais recente livro publicado no Brasil, mostra como tanto Adolf Hitler quanto os aliados cometeram nas Ardenas. Porque se subestimaram. Mas, claro, o ditador nazista acabou levando a pior.

Trechos do livro

1

“Nas Ardenas, unidades da linha de front compostas exclusivamente por soldados afro-americanos serviram pela primeira vez em número considerável. Apesar dos receios e preconceitos de muitos altos oficiais americanos, eles lutaram muito bem, como a 17ª Aerotransportada pôde comprovar. Nada menos do que nove dos batalhões de artilharia de campo no 8º Corpo haviam sido de negros, assim como quatro das sete unidades de artilharia do corpo que apoiavam a 106ª Divisão. Duas delas foram para Bastogne e tiveram papel importante na defesa do perímetro. A 969ª Artilharia de Campo recebeu a primeira Citação de Unidade por Distinção dada a uma unidade de combate negra na Segunda Guerra Mundial. Havia ainda três batalhões de destruidores de tanques e o 761º Batalhão de Tanques, todos com soldados negros, lutando nas Ardenas. O capitão John Long, oficial que comandava a Companhia B do 761º Batalhão de Tanques, declarou que lutava ‘não por Deus e pelo país [Estados Unidos], mas por mim e meu povo’”. (Página 476)

2

“As baixas alemãs e aliadas nos combates das Ardenas de 16 de dezembro de 1944 a 29 de janeiro de 1945 foram praticamente iguais. Aa perdas alemãs ficaram por volta de 80 mil, entre mortos, feridos e desaparecidos. Os americanos sofreram 75.482 baixas, com 8.407 mortos. Os britânicos perderam 1.408, dos quais duzentos foram mortes. A desafortunada 106ª Divisão de Infantaria foi a que mais perdeu homens, 8.568, mas muitos deles foram feitos prisioneiros de guerra. A 101ª Aerotransportada teve a maior taxa de mortos, com 535 mortos em combate”. (Página 476)

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.