Euler de França Belém
Euler de França Belém

Adalberto Queiroz derrota Nelson Figueiredo, mas não se torna imortal da AGL

O poeta obteve 18 votos e o professor ficou com 14. Mas o bardo precisava de 19 votos para se tornar membro da Academia Goiana de Letras

Adalberto Queiroz comemora, com escritores e amigos, sua vitória na AGL

O professor Nelson Figueiredo e o poeta e jornalista Adalberto Queiroz disputaram a vaga do professor e crítico literário José Fernandes na Academia Goiana de Letras (AGL) na quinta-feira, 30. Adalberto Queiroz ganhou, mas não levou.

Não houve, claro, nenhuma irregularidade, pois obedeceu-se, à risca, as regras da AGL. Adalberto Queiroz conquistou 18 votos e Nelson Figueiredo, 14. Se tivesse recebido 19 votos, o bardo passaria a ser nomeado de “imortal”, merecidamente, porque é excelente poeta (à espera de críticas categorizadas, não apologéticas), desses que dialogam com a tradição mas não são mimetizadores.

O poeta, biógrafo, pesquisador e jornalista Iúri Rincon Godinho não pôde comparecer à votação, porque está em São Paulo a trabalho. Ele era eleitor de Adalberto Queiroz.

A vaga de José Fernandes fica aberta e tanto Adalberto Queiroz quanto Nelson Figueiredo não poderão participar novamente da disputa. Exceto de outra vaga.

Com sua fleuma habitual, Adalberto Queiroz não ficou nada irritado, “por ganhar e não levar”, porque, na verdade, foi muito bem votado.

1 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Adalberto de Queiroz

Perfeito relato da situação, caro Euler.

João Alberto Neves

Sugiro, na minha ingenuidade, que a AGL mude seu regimento e permita recandidaturas, ao invés de excluir quem quase chegou lá.