A pergunta sobre Michagol é: quem vai contratá-lo — Corinthians, Flamengo ou um time da Europa?

Na Europa, além do Sporting, de Portugal, outros escretes estão de olho no pequeno notável do Cerrado. Chegou a hora de Michael

Cilas Gontijo

Você sabia que a pessoa mais conhecida de Goiás no Brasil atende pelo nome de Michagol? Pois bem: estamos falando de Michael, o atacante do Goiás que encantou as torcidas brasileiras de Norte a Sul, do Oiapoque ao Chuí, em 2019.

Michael: cracaço do time do Goiás  e uma estrela nacional| Foto: Rádio Sagres

Michael nasceu em Poxoréu, no Mato Grosso, em 12 de março de 1996. É um pós-adolescente de 23 anos. Mora em Goiânia e, por enquanto, compõe o time do Goiás Esporte Clube. É uma estrela poderosa — tanto que, no Brasil, só há dois tipos de clubes: os que planejam contratá-lo e os que querem mas não podem contratá-lo. Na Europa, além do Sporting, de Portugal, outros escretes estão de olho no pequeno notável do Cerrado. Há quem o chame, na Itália, na Espanha e na Inglaterra, de “o novo Neymar” (sem os problemas extracampo — diga-se).

O jogador é um vencedor e costuma dizer que ganhou uma nova chance de Deus. Michael não esconde sua história. Pelo contrário, abre-se para informar que chegou a ser usuário de drogas e, por isso, passou por momentos difíceis na vida. O vício “engoliu” seus sonhos por um breve período. Entretanto, como afirma, o Criador ajudou-o a retomar o caminho do bem. Há quem aposte que o garoto é um predestinado, um escolhido por Deus.

Há quatro anos, em 2015, Michael disputou a terceira divisão do Goianão pelo Monte Cristo. Em seguida, o Goianésia o levou para a disputa da primeira divisão do Campeonato Goiano de 2016. Ele jogou muito bem, fazendo um hat-trick na goleada de 5 x1 no Vila Nova em casa, despertando o interesse de vários clubes, como Goiás. O futebol do garoto era e é tão bonito que algumas pessoas diziam: “Depois de ver o Michael jogar, estou até enxergando melhor”. Sim, ele “limpa” as vistas. O futebol fica mais bonito quanto o jogador está em campo, com aquelas arrancadas e aqueles dribles fulminantes e desconcertantes (Garrincha o aplaudiria de pé).

Michael: craque do Campeonato Brasileiro de 2019

Em abril de 2017, Michael foi apresentado na Serrinha. Era uma aposta da diretoria para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Jogava bem, mas ainda não se tinha confiança absoluta de que faria sucesso.

Jogadores jovens, mesmo quando craques, precisam, por vezes, do amparo de técnicos e, inclusive, de preparadores físicos. Com a chegada de Ney Franco, em 2018, Michael pôde mostrar todo o seu futebol. O técnico havia chegado com a missão de retirar o Goiás da Série B do Campeonato Brasileiro e recolocá-lo na elite do futebol.

Ney Franco colocou Michael para jogar, dando-lhe ritmo de jogo e liberdade para fazer o que mais sabe: driblar, partir para cima e finalizar — além de servir os colegas com categoria. Ganhou confiança e firmou-se. O resultado é que o Goiás subiu para a Série A. Michael se tornou a estrela do time. Torcedores chegam a dizer, brincando, que o time mudou de nome: Michael Futebol Clube.

Na Série A, Michael arrasou e recebeu, várias vezes, o prêmio de melhor jogador concedido pela TV Globo. A aposta havia se tornado realidade. Tornou-se, em pouco tempo, o melhor jogador do Goiás e um dos melhores do país, aquele craque indispensável, que, além de brilhar individualmente, sabe jogar para a equipe. Ele é a prova de que o indivíduo faz a diferença em campo e no mundo.

Michael: a caminho de um grande clube brasileiro ou europeu | Foto: Reprodução

Revelação de 2019

O canal ESPN o elegeu como a revelação do Campeonato Brasileiro de 2019. Com apenas 23 anos, Michael se destacou pelas boas atuações e pelos nove gols marcados. Ele foi considerado fundamental para o time ter ficado entre os dez melhores e, claro, não ser rebaixado.

O reconhecimento é justíssimo. Há três anos, Michael era um atleta sem perspectiva nenhuma. Mas soube dar a volta por cima e conseguiu ser visto pelos brasileiros e, também, pelo mundo. Um jogador do Goiás conta que é tal a intimidade de Michael com a bola que, quando um jogador tenta desarmá-lo, ela avisa: “Michael, olha o ladrão”. Brincadeira à parte, parece que, ao conduzir a bola, Michael tem superbonder na chuteira. Porque ela não o larga.

Michael vai permanecer no Goiás? Muito difícil. Por vários motivos. Primeiro, o Goiás precisa de dinheiro. Segundo, o Goiás não terá condições de bancar o salário que Michael merece ganhar depois de ter se tornado uma estrela nacional. Terceiro, as propostas por seu passe serão cada vez mais irresistíveis. Depois do Corinthians e do Sporting, outros clubes vão tentar contratá-lo. Consta que o Flamengo de Jorge Jesus está de olho grande no garoto. Se perder Gabigol, o Flamengo terá de recompor seu ataque e Michael é a grande pedida. Sim, não joga na mesma posição do centroavante flamenguista, mas é um atacante dos mais notáveis.

A multa rescisória de Michael é de 50 milhões de reais, quando se trata de times brasileiros, e de 100 milhões de reais, se o clube for do exterior.

A pergunta sobre Michagol é: quem vai contratá-lo — o Corinthians, o Flamengo ou um time da Europa? Fala-se, não se sabe se em tom de brincadeira, que até o River Plate e o Liverpool estão de olho no garoto.

Cilas Gontijo é comentarista esportivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.