20 aforismos de Karl Kraus sobre mulheres. Não são nada politicamente corretos

O jornalista e intelectual austríaco era um polemista de primeira linha. Hoje, seria crucificado. Ele não perdoava ninguém — nem homens nem mulheres

1

“A memória curta dos homens se explica por seu grande distanciamento do sexo, que desaparece na personalidade. A memória curta das mulheres se explica pela sua proximidade ao sexo, na qual a personalidade desaparece.”

2

“A mulher cuja sensualidade nunca cessa, e um homem ao qual sempre vêm novos pensamentos: dois ideais de ser humano que parecem doentios à humanidade.” — Karl Kraus

3

“A mulher mediana está suficientemente equipada para a luta pela vida. Por sua incapacidade de pensar, a natureza a recompensou largamente com a capacidade de não ter que sentir.”

4

“A mulher bonita recebeu inteligência bastante para que se possa falar tudo para ela e nada com ela.”

5

“Se uma mulher diz coisas inteligentes, ela as diz com um véu sobre o rosto. Mas mesmo então o silêncio de uma bela face é mais provocante.”

6

“As mulheres são as melhores pessoas para se conversar o mínimo.”

7

“A mulher existe para que, através dela, o homem aprenda. Ele não aprende se não a compreende. Ou se ela aprendeu demais.”

8

“Habituemos-nos a diferenciar as mulheres entre as que já são inconscientes e as que é preciso tornar inconscientes. Aquelas estão num nível mais elevado e dirigem o pensamento. Estas são mais interessantes e servem ao prazer. Lá o amor é devoção e sacrifício; aqui, triunfo e saque.”

9

“Quão pouca confiança se pode ter em uma mulher que é surpreendida em plena fidelidade! Hoje ela é fiel a você, amanhã a um outro.”

10

“Só confio na mulher que não expia sempre seu prazer com uma prenhez espiritual e lava toda experiência na pia do esquecimento!”

11

“A mulher entra com seu sexo em todos os empreendimentos da vida. Às vezes até no amor.”

12

“A espiritualidade da mulher é a nascente onde a espiritualidade do homem vai buscar renovação.”

13

“O prazer estéril do homem nutre-se do espírito estéril da mulher. Mas do prazer feminino nutre-se o espírito masculino. O prazer feminino produz as obras do homem. Por meio de tudo aquilo que não lhe foi concedido, a mulher faz com que o homem usufrua seus dons. Livros e quadros são produzidos pela mulher — não por aquela que os escreve e pinta. Uma obra é trazida ao mundo: a mulher engendrou o que o homem pariu.”

14

“A verdadeira relação entre os sexos é quando o homem reconhece: — Não tenho outro pensamento senão você, e por isso sempre tenho novos pensamentos!

15

“A personalidade da mulher é a falta de essência enobrecida pela inconsciência.”

16

“A mulher mais irrefletida ama a serviço de uma ideia, enquanto o homem ama a serviço de uma carência. Mesmo a mulher que se sacrifica apenas à carência alheia é moralmente superior ao homem que só está a serviço da própria.”

17

“Quando os instintos da mulher se calam, ela deseja o Príncipe Encantado.”

18

“Logo se compreende o conteúdo de uma mulher. Quando se chega à superfície!”

19

“O espelho serve apenas à vaidade do homem; a mulher precisa dele para se assegurar de sua personalidade.”

20

“A superioridade masculina no comércio amoroso é uma mísera vantagem pela qual nada se ganha e só se faz violência à natureza feminina. O homem deveria deixar-se introduzir pela mulher nos mistérios da vida sexual.”

Fonte

Os aforismos foram retirados do livro “Dito e Desditos” (Brasiliense, 167 páginas, tradução de Márcio Suzuki e Werner Loewenberg), de Karl Kraus (1874-1936). O jornalista era editor da revista “Die Fackel” (“O Archote”).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.