A Polícia Federal sempre foi, desde sua estruturação em 1964, uma séria instituição do Estado. Salvo algum desvio pessoal de um ou outro integrante, nada no seu meio poderia ser classificado como falha. Deve-se a uma das figuras maiores do petismo, Márcio Tho­maz Bastos, quando ministro da Justiça (2003-2007), uma tentativa de partidarizá-la, fazê-la polícia política, e devem-se a ele os primeiros desvios e erros da instituição, de que não se livrou de todo até hoje.

As operações espetaculares, televisivas, impróprias mesmo algumas vezes, que desabavam sobre os investigados como condenações prévias, foram criação do advogado petista. “Rico também vai em cana”, proclamava a cúpula do PT, pouco importando o grau de culpa dos exibidos na Rede Globo, como a dona da Daslu, Eliana Tranchesi. Eliana merecia uma simples investigação da Receita Federal e uma cobrança enérgica de impostos, seguida, se necessário, de um processo. Ganhou em 2005 uma prisão e a expiação em praça pública que a liquidou.

O mesmo aconteceu com outros, e o ambiente chegou a criar um delegado Protógenes Queiroz, que de tanto exibicionismo, em 2004, não conseguiu inculpar ninguém, perdeu o cargo, elegeu-se deputado federal com auxílio do palhaço Tiririca e do anacronismo comunista ainda existente por aqui (PC do B), e desapareceu num rio de trapalhadas.

Com a queda do petismo, não é mais fácil que a Polícia Federal aja politicamente, mas o gosto pelas câmeras de televisão seduziu delegados e agentes, e pode provocar estragos na corporação e fora dela.

Como prova a desastrada Operação Carne Fraca, que está gerando muito mais malefícios do que benefícios, a ponto de entidades ligadas à própria Polícia Federal tecerem críticas, não aos seus objetivos, mas à sua condução. Críticas, aliás, endossados pelo juiz do feito, Marcos Josegrei da Silva, da 14ª Vara Federal de Curitiba. Não nos esquecendo de que a economia vinha dando sinais, ainda que tênues, de recuperação. Ao menos no setor de carnes, algum desemprego virá. Exibicionismo nas operações policiais, um entulho petista, entre os muitos a serem removidos.