O Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo Urbano de Goiânia e Região Metropolitana (Sindcoletivo) conseguiu uma audiência com o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para buscar um acordo e suspender a greve dos motoristas de ônibus de Goiânia, que tem início marcado para esta semana. A reunião está marcada para às 9h desta quarta-feira, 26, na sede da Corte.

O presidente do Sindcoletivo, Carlos Alberto, relatou ao Jornal Opção que a expectativa é de que a audiência tenha um resultado positivo para a classe. “Eu espero que seja positiva. Eu acho que as empresas estão no momento econômico bastante favorável, já que estão sendo subsidiados tanto as passagens, como as reformas dos terminais, as reformas dos pontos de ônibus e a compra de nova frota. Eu não vejo porquê, então, nesse momento tão favorável financeiramente, eles não possam olhar para a classe trabalhadora e oferecer uma proposta que a gente quer”, disse.

Segundo o presidente do sindicato, a classe tem como principal reinvidicação a recomposição salarial que, de acordo com ele, começou a ser perdida em 2017 e teve seu pico de perda em 2020, ano da pandemia de Covid-19.

Aceitação

Carlos Alberto afirmou que quase 90% dos motoristas aderiram a greve, apesar do “assédio moral sofrido pelos trabalhadores por parte de fiscais e das empresas”. Para ele, porém, existe uma dificuldade com motoristas que tentam fazer manifestações em terminais antes do início da greve.

“O que a gente quer na paralisação é que se façamos uma greve onde tudo ocorra dentro da lei. Nada de greve ilegal. Escutamos todos os recursos para uma negociação, estamos buscando uma mediação junto ao Superintendência Regional do Trabalho, tivemos reuniões para explicar nossas propostas”, disse. “Estamos apenas reivindicando o que temos direito legítimo e amparado pela Constituição”, continuou.

Reivindicações

De acordo com Carlos Alberto, o reajuste pedido pela categoria é de 15% nos salários e 20% do auxílio alimentação. Ele afirma que os valores são razoáveis devido a falta de reajustes nos últimos anos.

Atualmente, o salário de um motorista de ônibus é cerca de R$2.830, com carga horária de 8 horas. Os motoristas de ônibus também reivindicam por:

  • Redução da carga horária diária
  • ⁠Aumento do tempo de almoço
  • ⁠Salas de descanso
  • ⁠Melhores salas de refeições
  • ⁠Banheiros separadas das salas de refeição

Leia também:

Greve de motoristas de ônibus começa essa semana; entenda reinvindicações