A Justiça de Minas Gerais condenou, na última sexta-feira, 14, o cantor Gusttavo Lima, de 33 anos, a pagar R$ 10 mil a um idoso, dono de um número de telefone idêntico ao citado na música ‘Bloqueado’. Ele relatou à Vara Civil de Pará de Minas que as ligações são tantas que tornaram impossível a utilização do celular. O artista ainda pode recorrer.

A sentença homologada pela juíza Silmara Silva Barros entendeu tratar-se de um caso de violação de privacidade. O músico alegou ser apenas intérprete da música, e, que por isso, não deveria ser alvo da ação.

A sentença aponta ainda para o fato de Gusttavo Lima ter estimulado aos seus seguidores nas redes sociais a ligarem para o número de celular:

“O requerido Nivaldo Batista Lima (nome artístico do sertanejo), por meio de seu perfil na rede social Instagram, onde possui mais de 40 milhões de seguidores, acabou por estimular seus fãs a ligarem para o número (…) idêntico ao contato do autor. Nesse aspecto, a conduta do requerido Nivaldo que se revestiu de culpa, uma vez que foi imprudente, considerando que as suas publicações, em razão do número expressivo de seguidores, ganham alcance nacional, despertando reações e atitudes diversas”, diz a decisão.

O idoso anexou ao processo mais de 100 conversas de Whatsapp com referências à canção. Constam ainda áudios e mais de 200 ligações e números bloqueados no processo.

Gusttavo Lima com Bolsonaro

Nesta segunda-feira, 17, os cantores Gusttavo Lima e Leonardo, 59, foram ao Palácio da Alvorada, em Brasília, manifestar apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL). Os artistas fizeram uma transmissão com o candidato à reeleição.

“Sempre fui apaixonado pelo sertanejo. Eu sou do interior de São Paulo, aquele jeitão meio do povão […] Gusttavo Lima e Leonardo realmente é uma marca para nós. O que nós queremos com isso? Mostrar que tem dois lados bastante distintos”, disse Bolsonaro no vídeo.