Autoridades brasileiras se pronunciaram nesta tarde nas redes sociais sobre a invasão ao Congresso Nacional, Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Palácio do Planalto. Aos gritos de “faxina geral” e ao som do Hino Nacional, bolsonaristas ocuparam a Esplanada dos Ministérios, na tarde deste domingo, 8, em protesto contra a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições 2022. O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) ainda não se manifestou até o momento.

O ministro da Justiça, Flávio Dino, chamou os atos antidemocráticos de “absurdos” e afirmou que a “tentativa de impor a vontade pela força não vai prevalecer. Dino disse ainda que o Governo do Distrito Federal (GDF) informou que “haverá reforços”.

O ex-ministro da Justiça e atual secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Torres, disse que determinou que o setor de operações da pasta tome “providências imediatas para o restabelecimento da ordem no centro de Brasília. “Cenas lamentáveis agora na Esplanada dos Ministérios”, afirmou.

Após a ivnasão, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco disse em uma rede social que em uma conversa por telefone, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), afirmou que “está concentrando os esforços de todo o aparato policial, no sentido de controlar a situação”. Pacheco disse ainda que repudia os atos antidemocráticos e que eles devem “sofrer o rigor da lei com urgência”.

Gleisi Hoffmann, deputada federal e presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), pontuou que o governo do DF foi “irresponsável”. “Governo do DF foi irresponsável frente à invasão de Brasília e do Congresso Nacional. É um crime anunciado contra a democracia, contra a vontade das urnas e por outros interesses. Governador e seu secretário de segurança, bolsonarista, são responsáveis pelo que acontecer”.

Randolfe Rodrigues, líder do governo no Senado, critica atuação do governo do DF. “Acabei de falar com o presidente do Congresso Nacional, @rodrigopacheco, e fui informado que todas a providências legais estão sendo tomadas. Um recado aos democratas: vamos nos unir! Não podemos tolerar que a casa do povo seja atacada por terroristas. A Democracia é mais forte! A manifestação terrorista em Brasília já era prevista e contou com a complacência e quase cumplicidade do governador do DF @IbaneisOficial. Qualquer coisa que vier a acontecer com a vida das pessoas e ao patrimônio do povo brasileiro, o Sr @IbaneisOficial será responsabilizado”.

A deputada estadual de São Paulo Janaina Paschoal (PRTB) critica a estratégia utilizada pelos bolsonaristas. “O que querem esses manifestantes no início do Governo? Contra qual pauta protestam? Vão dar motivo para um endurecimento? Vão legitimar o discurso de que a direita é extremista? Eu realmente não me conformo com tanta falta de visão!”, critica. Ela complementa: “Será uma burrice imensurável o bolsonarismo causar um convulsão social em pleno governo Lula! O que querem? Querem dar a Lula razões para acionar o tal 142? Pelo amor de Deus, pensem uma vez na vida!”

O ex-ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, pede sensatez. “Peço a todos equilíbrio e sensatez. A democracia se fortalece no contraditório e no respeito às diferenças”.