*Com informações da Agência Brasil

Novas pessoas foram presas na manhã desta sexta-feira, 27, durante a terceira fase da Operação Lesa Pátria, que tem como objetivo identificar pessoas que participaram, financiaram ou fomentaram os atos golpistas praticados no dia 8 de janeiro que resultaram na invasão e no vandalismo das sedes dos Três Poderes, em Brasília.

Agentes da Polícia Federal (PF) executaram 11 mandados de prisão preventiva e 27 mandados de busca e apreensão em cinco estados e no DF. Os mandados são cumpridos no no Rio de Janeiro (nove de busca e apreensão e um de prisão), Minas Gerais (quatro de busca e apreensão e dois de prisão), Paraná (um de busca e apreensão e um de prisão), Santa Catarina (um de busca e apreensão e um de prisão), Espírito Santo (oito de busca e apreensão e quatro de prisão) e Distrito Federal (quatro de busca e apreensão e dois de prisão).

Os presos devem ficar detidos em seus respectivos estados e irão responder por crimes como abolição violenta do Estado Democrático de Direito; golpe de Estado; associação criminosa; incitação ao crime e destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido.

Prisões

Maria Fátima Mendonç, 67 anos, foi presa por invasões em Brasília | Foto: Redes sociais/Reprodução

Os mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em resposta às ações de golpistas que “promoveram violência e dano generalizado contra os imóveis, móveis e objetos” no Palácio do Planalto, no Congresso Nacional e no STF.

A lista de presos inclui Maria de Fátima Mendonça Jacinto Souza, de Santa Catarina, que tem passagem por tráfico e ganhou notoriedade após os atos por ser flagrada em vídeos depredando patrimônio público.

Além dela, foram presos foram presos Eduardo Antunes Barcelos, da cidade de Cataguases, e Marcelo Eberle Motta, de Juiz de Fora, em Minas Gerais; e o empresário Claudio Mazzia, no Paraná.