A Secretaria Geral da Presidência da República divulgou nesta quinta-feira, 12, os dados do Cartão de Pagamento do Governo Federal (CPGF), conhecido como “cartão corporativo”, durante a gestão de Jair Bolsonaro (PL). Em quatro anos de mandato, o ex-presidente acumulou mais de R$ 32,6 milhões de reais em gastos, com os valores corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

As movimentações realizadas por Bolsonaro foram o dobro do que gastou o ex-presidente Michel Temer (MDB), que ficou pouco mais de dois anos no cargo. Mas, ainda é um valor menor do que as duas gestões anteriores de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o primeiro mandato de Dilma Rousseff (PT).

A divulgação dos gastos de Bolsonaro ocorreu após Lula anunciar que quebraria o sigilo de 100 anos que o último governante havia imposto a várias questões. Além dos valores do CPGF, o atual presidente tem uma lista de dados que ainda serão divulgados, incluindo as cifras gastas durante o governo, como motociatas e cerimônias. 

O “cartão corporativo” foi criado por meio de decreto pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em 2001. O objetivo seria para atender a despesas eventuais que exijam um pagamento imediato, sem ultrapassar o limite estabelecido na Portaria MF nº 95/2002. 

Confira os valores gastos pelos ex-presidentes desde a criação do CPGF, ajustados ao IPCA:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – 1º mandato completo: R$ 59.075.679,77

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – 2º mandato completo: R$ 47.943.615,34

Dilma Rousseff (PT) – 1º mandato completo: R$42.359.819,13

Dilma Rousseff (PT) – 2º mandato incompleto (1 anos e 8 meses): R$ 10.212.647,25

Michel Temer (MDB) – após o impeachment (2 anos e 4 meses): R$ 15.270.257,50

Jair Bolsonaro (PL) – 1º mandato completo: R$ 32.659.369,02