A Polícia Civil de Porto Alegre, por meio da 5ª Delegacia de Polícia de Homicídios de Porto Alegre deflagrou uma operação para desarticular organização criminosa que atuava em lavagem de dinheiro. No total, foram 66 ordens judiciais, incluindo 21 mandados de busca e apreensão em sete cidades do Estado (Porto Alegre, Gravataí, Viamão, Cachoeirinha, Guaíba Sapiranga, Torres) e bloqueio judicial de 15 contas bancárias. Entre os investigados, está um bisneto do ex-presidente da República João Goulart.

A operação chamou atenção das autoridades por conta dos altos valores envolvidos nas transações investigas. Segundo a polícia, foram mais de R$ 600 milhões movimentados nos últimos cinco anos, em diversas contas correntes administradas pelos membros desta organização criminosa.

As investigações começaram em setembro de 2021, quando a polícia deu início a busca em um aparelho telefônico encontrado dentro de um buraco numa das celas da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (PASC). Após análise concluída pela delegacia especializada a polícia estabeleceu relação entre William Fernandes Carvalho, alcunhado “Boneca” ou “Barbie”, e Jackson Peixoto Rodrigues, o Nego Jackson, ambos acusados de terem praticado, em conjunto, 13 homicídios. Considerando os homicídios que respondem separadamente, o número de crimes sobe para mais de 40.

A investigação também apontou o bisneto do ex-presidente Jango como responsável pelo recolhimento dos valores do tráfico de drogas da organização. Além disso, ele era responsável por gerenciar a distribuição do arsenal bélico da facção criminosa. A Polícia informou que ele não levava uma vida que chamava atenção, mas chegava a circular mais de 600 km num único final de semana, mesmo sem deixar a cidade de Porto Alegre.