O União Brasil tem 59 deputados eleitos e deve ter dez senadores, essa força da sigla, garantiu que ele fosse um dos mais contemplados pelo governo Lula. Nos ministérios, foram anunciados Daniela de Souza Carneiro (“Daniela do Waguinho”) para o Turismo e Juscelino Filho para as Comunicações. Já Waldez Goés, que é do PDT, foi indicado pelo União Brasil, segundo Lula, e comandará a pasta de Integração Nacional – a informação é que Goés deve se filiar ao UB.

Mesmo com forte presença no governo que se inicia, os integrantes do UB não devem se alinhar ao governo petista facilmente. Conforme aponta o próprio presidente nacional do partido, o deputado Luciano Bivar, apesar de ter indicado três ministros, a sigla não será base formal de Lula.

Antes mesmo das indicações dos ministérios, o deputado Zacharias Calil (UB), já havia se posicionado em relação a sua posição no Congresso. O parlamentar explica que tem suas posições contrárias ao PT e as políticas de esquerda, motivo pelo qual, apesar da aproximação do seu partido com o presidente, ele se manterá independente. “Procurei a direção União Brasil e expliquei minha posição. Tenho minhas posições políticas e também represento um estado em que maioria dos eleitores são de direita. Vou manter minha posição”, argumentou.