Como político hábil, o senador Vanderlan Cardoso (PSD) desconversa quando perguntado se vai disputar a Prefeitura de Goiânia. Costuma fazer “cara de paisagem”, algo blasé, e sugere que não irá disputar. Sua mulher, Izaura Cardoso, tem seu nome lembrado para a disputa. Suplente do senador eleito Wilder Morais (PL), a empresária adora política e tem um grande círculo de relacionamentos no meio evangélico.

Porém, de acordo com um vanderlanista, é “papo furado” que Izaura Cardoso planeje disputar mandato de prefeita em Goiânia. Mas qual é o jogo?

O jogo real é o seguinte: Vanderlan Cardoso é um apaixonado por pesquisas e elas estão dizendo que, neste momento, os eleitores de Goiânia querem um administrador da estirpe de Iris Rezende na prefeitura. Ou seja, uma volta ao passado, mas com nome novo. Pode ser Vanderlan? Pode. Porque tem o perfil de administrador e é sempre lembrado como o prefeito que “reinventou” Senador Canedo como cidade, pois antes era vista como um “bairro” distante e abandonado de Goiânia.

Então, a tendência é que Vanderlan Cardoso dispute mandato de prefeito na capital. Mas há uma condição: ele quer e precisa do apoio de Wilder Morais. Ou seja, mesmo tenha estatura política, necessita de um “padrinho” com força política e, ao mesmo tempo, estrutura financeira.

Mas por que Wilder Morais apoiará (ou apoiaria) Vanderlan Cardoso para prefeito? A tese do grupo do PL é a seguinte: o senador do partido planeja disputar o governo de Goiás, em 2026, e precisa do apoio de um “padrinho”. Portanto, se for eleito prefeito de Goiânia em 2024, o senador do PSD poderá ser o grande padrinho de Wilder Morais em 2026. Trata-se do jogo real.

O que preocupa Wilder Morais é a suposta “falta de lealdade” de Vanderlan Cardoso. Em 2020, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, do União Brasil, apoiou o senador para prefeito de Goiânia, porém, na disputa da reeleição, em 2022, Vanderlan Cardoso decidiu não apoiá-lo, ficando ao lado do candidato do PL, o bolsonarista Major Vitor Hugo.

O PL, por sinal, conta com a filiação de Vanderlan Cardoso. Este ano.