Em 2020, Rita de Cássia (PSB) estava praticamente fora da política, depois de ter sido prefeita de Itaberaí. Mas grupos políticos da cidade, com a intenção de derrotar Janayna Wolpp da Silva, do PSC, decidiram bancá-la para prefeita do município.

Na linha de frente dos grupos oposicionistas estava o ex-prefeito Welington Baiano. Este chegou a articular o lançamento de um irmão, mas, em nome de uma aliança ampla — afinal, Janayna Wolpp contava com o apoio do então prefeito, Roberto Silva —, Wellington Baiano decidiu apoiar Rita de Cássia.

Rita de Cássia: prefeita de Itaberaí | Foto: Facebook

Com o apoio de uma frente ampla, Rita de Cássia obteve uma votação extraordinária: 13999 votos (61,87%). Janayna Wolpp recebeu apenas 33,47% dos votos válidos.

Na disputa de 2022, Rita de Cássia apoiou dois candidatos a deputado estadual: Lívio Luciano (831 votos, 3,69%) e Talles Barreto (595 votos, 2,64%). O candidato que não recebeu seu apoio, o vereador Adilson Cardoso (PSC), obteve 9885 votos (42,84%). Frise-se que outro candidato local, Wemerson Raio de Sol (PSDB), conquistou apenas 1214 votos (5,38%).

Adilson Cardoso: vereador em Itaberaí | Foto: Facebook

Qual o recado da excelente votação de Adilson Cardoso? Primeiro, Rita de Cássia perdeu força político-eleitoral, em dois anos. Segundo, o vereador pode se tornar o principal candidato de oposição à prefeita (um aliado de Rita de Cássia disse ao Jornal Opção: “Antes o vereador tem de se livrar de possíveis problemas judiciais”).

Mas o grande nome das oposições é mesmo Welington Baiano, que, depois de ter apoiado Rita de Cássia, rompeu com a prefeita. De acordo com um integrante do grupo do ex-prefeito, “a gestora municipal não agrega, é autoritária e criou guetos na prefeitura unicamente para seu grupo político, esquecendo-se de quem a apoiou em 2020”.

Janayna Wolpp: ex-vereadora | Foto: Divulgação

Um aliado de Rita de Cássia afirma que ela tem dito que, “para ser reeleita, precisa apenas do povo, e não de gente, como Welington Baiano, que fica só pedindo favores e empregos para seus aliados”.

Um vereador garante que uma pesquisa do instituto Serpes mostra que “a gestão de Rita de Cássia é muito bem avaliada”.

Janayna Wollp até agora não se manifestou sobre a disputa. Um aliado afirma que “a ex-vereadora submergiu e está cuidando da vida. Mas não é um nome ruim. Vale lembrar que conquistou 7.572 votos na eleição passada”.

Roberto Silva: ex-prefeito de Itaberaí | Foto: Reprodução

O ex-prefeito Roberto Silva pode ser candidato? Aliados acreditam que não, porque saiu desgastado da prefeitura e estaria respondendo a processos judiciais. Porém, de acordo com um ex-vereador, “Roberto é um animal político. Por isso, se perceber que há uma oportunidade de derrotar Rita de Cássia, pode se colocar no processo. É certo que tem desgaste, mas foi prefeito duas vezes e, de alguma maneira, deixou sua marca na cidade”.

José Garrote, o empresário mais rico de Itaberaí, vai apoiar a reeleição de Rita de Cássia? Um ex-vereador, que diz manter contato com o milionário, afirma que ele está mais preocupado com os negócios da família e nada interessado na disputa eleitoral da cidade. Mas, se entrar no jogo — não para ser candidato, pois não pleiteia mandato, e sim como apoiador —, pode desequilibrá-lo. “Como muita gente na cidade, é provável que Zé Garrote não esteja satisfeito com a gestão arroz com feijão de Rita de Cássia, mas ele fica calado, observando, de longe. Suas empresas são maiores, em termos de arrecadação, do que a Prefeitura de Itaberaí. Então, é como se ele administrasse várias cidades ao mesmo tempo. Ele é o ‘prefeito’ de seus frigoríficos.”

Os críticos de Rita de Cássia admitem que não há notícia de que esteja “roubando” o Erário. O problema da prefeita é que, não sendo criativa e inovadora, mantém a prefeitura e, portanto, Itaberaí no mesmo patamar de antes. “É como se a prefeita fosse a Roberto Silva de saia”, postula o ex-vereador.