Vice-presidente do PRB afirma que Rogério Rosso deve ser eleito governador do DF

Gilvan Máximo afirma que aliança “encorpada” deve ser seminal para a eleição do deputado federal

Eliana Pedrosa, Rodrigo Rollemberg, Alberto Fraga, Rogério Rosso e Paulo Chagas: disputa embolada e acirrada no Distrito Federal. A diferença da líder para o quinto colocado é possivelmente superável

Em Brasília costuma-se dizer que até os postes, as pedras, a arquitetura de Oscar Niemeyer e as crianças de 2 anos sabem que qualquer um pode ser eleito governador do Distrito Federal — menos o governador Rodrigo Rollemberg, do PSB.

Pesquisas indicam que 70% dos eleitores de Brasília rejeitam Rollemberg, considerado um dos piores gestores da história da cidade. Seus aliados contra-argumentam que, como teve de pôr a casa em ordem, cortando gastos e deixando de aumentar salários, acabou se tornando impopular. Há um problema mais recente. Dizia-se que o administrador do DF podia até ser incompetente, mas era honesto. Mas o portal “Metrópoles” noticiou que um irmão do líder socialista é suspeito de envolvimento em falcatrua e tráfico de influência envolvendo o governo de Brasília. Frise-se que não há prova de envolvimento direto do governador.

No momento, Eliana Pedrosa, do Pros, lidera as pesquisas de intenção de voto. Mas a diferença para o segundo colocado, Rodrigo Rol­lem­berg, para o terceiro, Alberto Fraga, do DEM, e para o quarto, Rogério Rosso, do PSD, é mínima. A rigor, qualquer um pode ser eleito. O empecilho para Rollemberg é mesmo sua rejeição (espantosos 78%, segundo o Ibope). O general Paulo Chagas (PRP), bancado pelo presidenciável Jair Bolsonaro, começa a pontuar nos levantamentos. Uma campanha moralizadora pode elevar seus índices.

O vice-presidente do PRB em Goiás, Gilvan Máximo, mantém um pé na política de Goiás e um pé na política de Brasília. “Os números não refletem, no momento, a realidade do jogo político. A aliança política de Rogério Rosso, a mais encorpada, vai eleger o governador. Ele vai terminar o primeiro turno em primeiro lugar e, no segundo, será eleito governador. A estrutura vai bancá-lo”, afirma o empresário. O vice do deputado federal, o pastor Egmar Tavares, pertence ao PRB.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.