Vice-presidente do MDB diz que não aprova rompimento com o prefeito Rogério Cruz

O deputado Paulo Cezar Martins afirma que rompimento com o gestor municipal foi um erro e sugere que é preciso ter mais grandeza

Daniel Vilela, Paulo Cezar Martins, Gustavo Mendanha e Maguito Vilela: “Hora é de pacificação e de investir num projeto de desenvolvimento para Goiânia” | Foto: Divulgação

O deputado estadual, líder da bancada na Assembleia e primeiro vice-presidente do MDB Paulo Cezar Martins disse ao Jornal Opção que não aprova o rompimento do partido com o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, do Republicanos.

“A equipe de Maguito Vilela elaborou um plano de Desenvolvimento para Goiânia e nós temos um compromisso com ele. Portanto, o rompimento, insisto, é um equívoco. A maioria do MDB, daqueles que têm voto, não concorda com o rompimento. Eu e muitos somos pela pacificação”, afirma Paulo Cezar.

Daniel Vilela e Paulo Cezar Martins | Foto: reprodução

“Neste momento de pandemia, em que há centenas de pessoas internadas e muitos morreram, não é hora de brigar. É hora de unir forças, não de olhar para o próprio umbigo e de ficar pensando em eleições e em cargos. É preciso pensar no coletivo, não no pessoal”, assinala o deputado.

Quarto deputado mais votado na eleição de 2018, Paulo Cezar Martins afirma que “o MDB tem a tradição de pensar grande, de pensar no social, na democracia e no desenvolvimento. O importante não é ficar discutindo cargos, mas pôr em prática um projeto de desenvolvimento para Goiás”.

Paulo Cezar Martins afirma que segue a linha de Maguito Vilela. “Não é hora de romper com os princípios de Maguito, que era um diplomata e um democrata autêntico. Antes de tomar uma decisão, Maguito ouvia os companheiros, e não apenas determinados grupos de convertidos.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.