Vice de Caiado em 2022 tende a ser Lissauer Vieira ou Adib Elias

O vice atual, Lincoln Tejota, não foi bem nas eleições municipais. Ele é cotado para ir para o TCM ou para disputar mandato de deputado federal

Adib Elias: mostrou força ao ser reeleito prefeito de Catalão, no Sudeste de Goiás, e o Podemos elegeu vários prefeitos | Foto: Reprodução

A eleição para governador de Goiás será disputada daqui a um ano e dez meses — as desincompatibilizações se iniciam daqui a um ano e quatro meses. Por isso os políticos, mal terminada a disputa pelas prefeituras, estão mantendo seus blocos nas ruas.

Há uma crença de que Lincoln Tejota será indicado para o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e seu pai, aposentado do Tribunal de Contas do Estado, vai disputar mandato de deputado federal. A rigor, os dois Tejotas não falaram tais sobre projetos. Portanto, pode ser especulação no meio político.

Mas o que se comenta é que, de 2018 para cá, sobretudo depois das eleições municipais, Lincoln Tejota perdeu substância. Seu partido, o Cidadania, não fez nenhum prefeito em cidades com mais de 30 mil eleitores. Dos 246 prefeitos, elegeu apenas oito.

Lissauer Vieira: presidente da Assembleia Legislativa de Goiás | Foto: Ruber Couto

O governador Ronaldo Caiado (Democratas), respeitoso, nunca disse que irá retirar Lincoln Tejota da vice. O problema é a falta de substância eleitoral.

O Podemos do prefeito de Catalão, Adib Elias, e do deputado federal José Nelto elegeu 14 prefeitos, alguns deles em cidades importantes, como  Águas Lindas (quase 100 mil eleitores), Formosa (mais de 70 mil eleitores), Catalão (mais de 70 mil eleitores), Ipameri, Pires do Rio e Porangatu (a cidade mais emblemática do Norte goiano), entre outros municípios. O resultado é que o partido vai pressionar por uma vaga na chapa majoritária em 2022. Adib Elias é cotado para a vice e José Nelto é cotado para o Senado. A tendência é que o partido tencione pela vice, e para o gestor de Catalão.

Adib Elias tem uma vantagem a mais: tem influência no eleitorado do MDB.

Lincoln Tejota: o vice-governador permanece no páreo |Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O PSB do presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira, não foi muito bem eleitoralmente. Porém, individualmente, o deputado estadual foi muito bem, com alianças importantes em várias cidades. Em Rio Verde, por exemplo, apoiou a reeleição do prefeito Paulo do Vale (DEM). O governador Ronaldo Caiado aprecia seu comportamento político, entendendo o que é um grupo político e sendo leal a ele.

O prefeito de Anápolis, Roberto Naves (Progressistas), também está fortíssimo para o pleito de 2022. Claro que não será candidato, mas terá força suficiente para exigir uma vaga na chapa majoritária para um aliado. Ele está cacifado.

O PP de Alexandre Baldy pretende uma vaga na chapa majoritária, possivelmente a de senador.

Por que ser vice de Ronaldo Caiado é tão importante? Porque, se reeleito e se deixar o governo em 2022 para disputar o Senado, o vice assumirá o governo e se tornará o candidato natural a governador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.