Vecci tem condições de descolar, de se aproximar de Iris e Waldir e de ir para o segundo turno

Giuseppe Vecci, Vanderlan Cardoso, Luiz Bittencourt e Francisco Júnior: políticos modernos, um deles deve descolar e tende a  disputar o segundo turno com Iris Rezende ou Waldir Soares

Giuseppe Vecci, Vanderlan Cardoso, Luiz Bittencourt e Francisco Júnior: políticos modernos, um deles deve descolar e tende a
disputar o segundo turno com Iris Rezende ou Waldir Soares

Dois políticos descolaram dos demais pré-candidatos na disputa pela Prefeitura de Goiânia: Iris Rezende, do PMDB, e Waldir Delegado Soares, do PR. Quem quiser tirar um dos favoritos do páreo precisa crescer e se aproximar, cada vez mais. Ressalve-se que o favoritismo do peemedebista e do republicano é o que se pode chamar de inercial. Primeiro, porque são mais conhecidos. Segundo, porque os demais pré-candidatos são menos conhecidos. Terceiro, porque ainda não há campanha, quer dizer, exposição de projetos e debates.

Os populistas Iris Rezende e Waldir Soares são populares, mas não são craques na arte de debater. O peemedebista, por ser mais experimentado, tende a se sair melhor. Mas o republicano, se permanecer monotemático — sugando até os “ossos” o tema da segurança pública —, tende a ser “esquecido” pelo eleitorado de classe média. A impressão que se tem é que o delegado prega para convertidos, mas não se preocupa em adotar um discurso para “converter” novos eleitores.

Vanderlan Cardoso, do PSB, não é populista, mas também não é um grande debatedor. Ele é capaz de articular projetos que “ficam de pé”, mas raramente consegue fazer uma exposição dinâmica e convincente de suas ideias. É mais gestor do que político, mas parece mais político do que gestor.

Os que estão na “comissão de trás”, Giuseppe Vecci, Luiz Bittencourt e Francisco Júnior, são tecnicamente superiores a Iris Rezende e Waldir Soares e são mais preparados para o debate. Bittencourt tem a capacidade rara de transformar um discurso técnico e complexo numa fala simples, mas não banalizada. Giuseppe Vecci, de todos, certamente é o que tem mais experiência como gestor (participou dos governos de Marconi Perillo, como elemento de criação) e é um debatedor feroz e capaz. O verbo de Waldir Soares, para ficar num exemplo, não é páreo para o verbo de Vecci. Francisco Júnior, embora tímido, tem um discurso técnico afiado e moderno. Um deles pode descolar e, se isto acontecer, tende a ir para o segundo turno.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.