Apesar das conversas, é muito difícil. Porque o emedebista está praticamente definido como vice e o PSD deve bancar Henrique Meirelles para senador

Pode parecer maluquice, talvez seja maluquice. Mas fica o registro do que se comenta nos bastidores. Fala-se, nos corredores do poder, que, embora Daniel Vilela, do MDB, esteja praticamente definido como candidato a vice do governador Ronaldo Caiado, para a disputa eleitoral de 2022, há um outro cenário a ser levado em consideração.

A ideia seria bancar o senador Vanderlan Cardoso, do PSD e ligado à poderosa Igreja Assembleia de Deus, para vice de Ronaldo Caiado. Mas um senador sacrificaria o mandato para ser vice? Há duas questões a serem avaliadas.

Ronaldo Caiado e Vanderlan Cardoso: aliados | Foto: Divulgação

Primeiro, o suplente de Vanderlan Cardoso é o ex-deputado federal Pedro Chaves (MDB), um dos políticos mais ligados a Daniel Vilela, presidente do MDB. Portanto, se o líder do PSD aceitar ser vice, o MDB ganha um senador com quatro anos de mandato, no caso de Ronaldo Caiado ser reeleito.

Segundo, e mais relevante é que, se Ronaldo Caiado for reeleito, seu vice tenderá a assumir o governo por nove meses, em 2026, com a possível saída do governador para disputar mandato de senador. Então, se Vanderlan for o vice, assumirá o governo e, em seguida, será candidato à reeleição. O grande sonho do senador é se tornar governador de Goiás.

Terceiro, se isto fosse efetivado, o que se faria com Daniel Vilela? Poderia disputar mandato de senador.

Há problemas com a especulação. Primeiro, Vanderlan não disse que cogita ser vice de Ronaldo Caiado. Segundo, se nada mudar, Daniel Vilela será mesmo o vice de Ronaldo Caiado. Terceiro, há o fato de que Vanderlan convidou Henrique Meirelles para ser candidato a senador em Goiás. Agora, portanto, certamente não iria atropelá-lo.