Vanderlan deve ser candidato a governador pelo PSD e deve bancar Francisco Jr. pra prefeito

A articulação de Vilmar Rocha pode incluir na aliança o MDB de Daniel Vilela — ao menos para o pleito de 2022

Vanderlan Cardoso, senador e possível candidato a governador em 2022 | Foto: Fábio Costa/Jornal Opção

O senador Vanderlan Cardoso sente-se como uma espécie de “patinho feio” no PP. Porque considera, segundo aliados, que o partido se tornou “propriedade” do ex-ministro Alexandre Baldy — que estaria tomando decisões unilaterais, sem consultá-lo, apesar de que é o único senador do partido em Goiás.

Recentemente, numa entrevista ao Jornal Opção, Alexandre Baldy admitiu que deverá participar do governo de Ronaldo Caiado e que pode apoiar a reeleição do prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB). Este, por sinal, é aliado de Caiado. Vanderlan Cardoso alega que não foi consultado. O senador não quer o PP apoiando Ronaldo Caiado — cobra independência e não oposição radical — e rejeita, frontalmente, ao apoio do partido à reeleição de Iris Rezende (MDB).

Vilmar Rocha: ex-deputado federal articula para 2020 e 2022 | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Vanderlan Cardoso pretende disputar o governo de Goiás em 2022 e Alexandre Baldy quer ser candidato a senador, numa composição com Caiado. Portanto, na aliança entre Baldy-Caiado, não há espaço para o senador.

O PSD de Vilmar Rocha convidou Vanderlan Cardoso para se filiar e ser o candidato do partido a governador em 2022. O senador está tentado a aceitar a proposta — e antes do pleito de 2022.

Daniel Vilela: cotado para disputar o governo e o Senado | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Em conversas com aliados, Vilmar Rocha tem sugerido que é preciso pensar numa aliança mais ampla para 2022, porque, com vários candidatos, a reeleição de Ronaldo Caiado pode estar garantida.

O projeto é o seguinte: Vanderlan Cardoso para governador, Daniel Vilela para senador e Gustavo Mendanha para vice-governador (fala-se também que poderá disputar mandato de deputado federal). O senador poderia apoiar Daniel Vilela, jovem que terá 39 anos em 2022, para governador no pleito de 2026 ou 2030. Longe demais? Mas na política é preciso pensar no curto prazo, o imediato, mas também no médio prazo (frise-se que a eleição de 2022 será realizada daqui a dois e dez meses) e até no longo prazo.

Francisco Júnior, deputado federal: pré-candidato do PSD a prefeito de Goiânia | Foto: Reprodução

Frise-se que, para se pôr contra Ronaldo Caiado, o PT poderá fazer parte da aliança — quiçá com o deputado federal Rubens Otoni na vice.

Quem ganha de imediato com a possível aliança com Vanderlan Cardoso é o pré-candidato do PSD a prefeito de Goiânia, o deputado federal Francisco Júnior.

Vanderlan Cardoso tem mais peso eleitoral em Goiânia do que Vilmar Rocha e Francisco Júnior juntos. Foi candidato a prefeito da cidade e foi muito bem votado para senador em Goiânia. Além disso, pode atrair parte do eleitorado evangélico para a campanha do parlamentar — que é católico.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.