Uma mulher pode assumir a vaga do desembargador Geraldo Gonçalves no TJ de Goiás

Numa prova de renovação, uma mulher poderá ser escolhida pelos advogados para se tornar a próxima magistrada

Montagem

O nome do próximo desembargador, a ser indicado pelo quinto constitucional, deve ser escolhido entre janeiro e fevereiro de 2018. Mas vários advogados estão em plena campanha. Independentemente de como será a escolha dos postulantes — eleições diretas ou indiretas —, a OAB terá de enviar 6 nomes para a avaliação do Tribunal de Justiça de Goiás, que refinará a lista para 3 e a encaminhará ao governador Marconi Perillo, que fará a escolha do magistrado.

Novos nomes que figuram no listão dos postulantes: a professora universitária Antônia Chaveiro Martins, que teria o apoio de Lúcio Flávio, e Danilo de Freitas, que teria a simpatia do vice-governador José Eliton. Há quem aposte que, desta vez, uma mulher (menciona-se também Caroline Ávila Marques Sandre e Rosângela Magalhães) será eleita desembargadora.

Outros nomes frequentemente mencionados: Talmon Pinheiro, que agrada advogados de Anápolis; Reinaldo Barreto, que tem a simpatia de advogados da OAB Forte e é respeitado por vários desembargadores; e Alexandre Tocantins, procurador do Estado, que teria a simpatia do governador Marconi Perillo

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Miranda

sei lá, quem sabe num futuro, a justiça brasileira seja privatizada para torná-la eficiente, e dar termo nestas velharias monarcas, há exceções obviamente.