Tribunal de Justiça mantém o deputado Karlos Cabral na Assembleia Legislativa de Goiás

PT quer retomar o mandato do político que representa o Sudoeste goiano, acusando-o de infidelidade partidária

Karlos Cabral, eleito pelo PT, assume vaga de Renato de Castro, do PMDB, que foi eleito prefeito de Goianésia (e foi cassado) | Foto: Reprodução Alego / Ruber Couto

O Tribunal de Justiça de Goiás manteve o mandato do deputado estadual Karlos Cabral. O PT move processo contra o parlamentar, acusando-o de infidelidade partidária. O líder político do Sudoeste goiano havia disputado eleição pelo PT em 2014, quando ficou como suplente, e, na disputa pela Prefeitura de Rio Verde, trocou o partido por outra legenda. Entendendo que o mandato é do partido, e não do deputado, a cúpula do PT pediu sua cassação, inicialmente autorizada pela Justiça.

O PT quer repassar o mandato para Cassiana Tormin, suplente. Ocorre que o primeiro suplente não é a representante de Luziânia, e sim Gugu Nader, representante de Itumbiara. Mas ele também trocou de partido, optando pelo PSB.

Karlos Cabral divulgou uma nota na quarta-feira, 14.

Nota oficial

Em relação ao processo judicial que contra mim move o PT, venho informar que na noite de hoje (14/06/2017), o Tribunal de Justiça concedeu medida que reconhece meu direito de permanecer no cargo para o qual fui legitimamente conduzido pelo povo goiano.

Agradeço a todos que se solidarizaram comigo, enviando mensagens de apoio, telefonando e os muitos que se dobraram em orações.

Deus acompanha os justos.

Karlos Cabral

Deputado estadual

Deixe um comentário