Triangulação de Iris, Vanderlan e Gomide, que visa assegurar o 2º turno, só beneficia o peemedebista

Vanderlan Cardoso e Antônio Gomide: a serviço da campanha  de Iris Rezende, sacrificando seus próprios projetos políticos | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Vanderlan Cardoso e Antônio Gomide: a serviço da campanha
de Iris Rezende, sacrificando seus próprios projetos políticos | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Na semana passada, ficou-se com a impressão de que pelo menos dois candidatos, apesar da fofoca espalhada nas redes sociais, haviam desistido da campanha e estavam apoiando outro candidato. Depois de conversas informais, via intermediários — diálogos sempre negados publicamente —, os candidatos do PSB, Vanderlan Cardoso, e do PT, Antônio Gomide, como se tivessem jogado a toalha e desistido de “retirar” Iris Rezende (PMDB) do páreo, aderiram à toada da campanha peemedebista. Os três, numa triangulação que aparentemente só beneficia um — Iris — , decidiram que vão atacar, sem dó nem piedade, o governador Marconi Perillo.

O objetivo do trio parada dura — Iris, Vanderlan e Gomide — é assegurar o segundo turno. O grupo de Iris estaria operando uma adesão “cinza” de Vanderlan e Gomide já no primeiro turno. Isto não significa que os dois vão desistir da campanha, e sim que vão continuar operando, conjuntamente, para beneficiar Iris Rezende e, sobretudo, trabalhando pelo segundo turno.

Publicamente, Vanderlan aposta que irá para o segundo turno e colocou seus aliados para dizerem, nas redes sociais e nas ruas, que está “crescendo” e que pode “superar” Iris. As pesquisas não registram isto e o próprio Vanderlan, político inteligente e dado a consultar pesquisas, sabe que não é verdadeiro. Gomide, desidratado, esforça-se para se tornar mais conhecido, pensando já no futuro. Se houver segundo turno, vai acompanhar Iris, embora o peemedebista não esteja muito empolgado com a candidatura da presidente Dilma Rousseff, do PT. Alguns de seus principais “aliados”, como o prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, do PT, já estão na campanha de Iris Rezende. Com o mesmo argumento: Gomide “já era” e Iris é o “único” que “tem” chances reais de “enfrentar e superar” Marconi. Na televisão, o que se assiste é um “ataque” coordenado ao governador Marconi. Quem vê os programas de Vanderlan, Gomide e Iris fica com a impressão de que o marqueteiro é o mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.