Thiago Peixoto diz que não faz pressões pela Secima e não discute exonerações

Heuler Cruvinel afirma que Hwaskar Fagundes não exigiu demissões na Secretaria das Cidades

Thiago Peixoto e Heuler Cruvinel: relações políticas cordiais e francas

Os deputados federais Heuler Cruvinel, do PP, Thiago Peixoto, do PSD, ligaram para o Jornal Opção para esclarecer uma suposta crise na Secretaria das Cidades e Meio Ambiente do governo de Goiás. Segundo denúncia, o secretário Hwascar Fagundes, com o “apoio” do parlamentar pepista, estaria demitindo servidores comissionados filiados ou ligados ao PSD. Thiago Peixoto estaria criticando as demissões. “Na verdade”, frisa o parlamentar pessedista, “conversei com o governador José Eliton, na semana passada, e lhe disse que o PSD entende que poderia ocupar algum espaço na sua gestão. Ficamos de conversar de novo, mas não fiz nenhuma pressão, e nem demonstrei pressa. Friso que a Secima não foi discutida por nós”.

Quanto às demissões e nomeações, Thiago Peixoto disse que não tem informações precisas a respeito — exceto pelo que sai nos jornais. “É um problema do secretário Hwaskar Fagundes e do governador.”

Heuler Cruvinel diz que ele e Thiago Peixoto têm “um relacionamento político franco, direto. Quanto às demissões, cabem ao secretário e ao governador, não a mim. Hwaskar me disse que não pediu as substituições. Do ponto de vista da gestão, Hwaskar está tentando implementar uma ação técnica eficiente, aproveitando sua experiência na iniciativa privada”.

Quando conversaram com o Jornal Opção, Heuler Cruvinel e Thiago Peixoto, que são amigos, estavam juntos — como a fotografia, produzida a pedido da redação, mostra.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.