Sirlene Borba quer ser prefeita de Rubiataba pra gerar empregos e melhorar a renda da população

A líder do Progressistas afirma que, se eleita, vai lutar para construir uma maternidade e para atrair uma unidade da Unirg para a cidade de Rubiataba

Sirlene Borba, pré-candidata a prefeita de Rubiataba pelo partido Progressistas | Foto: Divulgação

Sirlene Borba é pré-candidata a prefeita de Rubiataba pelo Progressistas, com o apoio do presidente do partido, o ex-ministro Alexandre Baldy, e dos deputados federais Adriano do Baldy e Professor Alcides Ribeiro.

Quem será o principal adversário de Sirlene Borba — que o deputado Adriano do Baldy, dizendo-se amparado em pesquisas, afirma ser a favorita para a disputa? A bancária disse ao Jornal Opção que, embora esteja dizendo que não será candidato, a tendência é que o prefeito José Luiz Fernandes, do PSB, seja o seu mais forte rival. Vereadores pediram que ficasse sem filiação partidária, como garantia de que não iria disputar a reeleição, mas o prefeito acabou se filiando ao PSB do presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira. O gestor municipal é ligado ao deputado federal Célio Silveira, do PSDB.

Adriano do Baldy, deputado federal: um dos principais articuladores da candidatura de Sirlene Borba | Foto: Câmara dos Deputados

Outro rival de Sirlene Borba é o padre Weber Costa, ligado ao deputado estadual Francisco Júnior. A Igreja Católica o suspendeu porque não permite que padre participe de pleitos eleitorais. O deputado Adriano do Baldy diz que não se trata de fato novo, pois mantém ligação com José Luiz. E grupos evangélicos da cidade não aceitam apoiar um integrante da Igreja Católica, comenta-se.

“O fato é que tenho o apoio de muita gente de bem da cidade e de fora da cidade. Alexandre Baldy virá a Rubiataba, no dia 5 de junho, para hipotecar apoio à minha candidatura. O presidente do PSL, o deputado federal Delegado Waldir Soares, também me apoia. Delegado Waldir tem boa aceitação no município”, afirma Sirlene Borba. “Estou conversando com líderes do DEM, do MDB e do PTB, mas são diálogos preliminares, ainda sem definições.”

Delegado Waldir Soares: o deputado federal aposta em Sirlene Borba / Foto: Fernando Leite

Instada a avaliar a gestão do prefeito José Luiz, Sirlene Borba afirma que não é de seu feitio “falar mal” de adversários políticos. Mas, ante a insistência do repórter, afirma: “A gestão do Zé Luiz, pessoa pela qual nutro respeito, deixa a desejar. As ruas estão cheias de buracos, a cidade está suja. Ele tem feito alguma coisa com as emendas de parlamentares. O deputado Delegado Waldir, por exemplo, repassou 300 mil reais para a segurança. Ocorre o seguinte: por ser médico, Zé Luiz não tem muito tempo e, por isso, só vai à prefeitura na parte da tarde. O gestor precisa ter compromisso integral com a sociedade. Acredito, até, que a gestão dele seria melhor se se dedicasse com mais desvelo aos problemas públicos”. Sirlene Borba prefere não dizer, mas outros adversários frisam que Zé Luiz é adepto da “teoria do caos”. Ele deixa as coisas deteriorarem e, no último ano, começa a consertá-las, avaliando que a memória dos eleitores é “curta”.

Quanto ao vice-prefeito, Denis Borba (PL): disputa ou não contra o prefeito José Luiz, se este for candidato à reeleição? “Não acredito que disputará contra o Zé Luiz. Há quem postule, não eu, que não disputará mesmo se o Zé Luiz não for candidato.” A mulher de Denis Borba é secretária de Assistência Social da prefeitura. Ele é primo do marido de Sirlene Borba.

Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, com Sirlene Borba: prestígio nacional | Foto: Reprodução

Sirlene Borba disputou eleição para prefeita em 2012, quando perdeu para Jakes de Paula, do MDB, por meros 300 votos. “Quase ganhei. Jakes é uma liderança forte no município”. O veterinário e fazendeiro Gilmar Benfica, presidente do MDB, planeja disputar mandato este ano. O PTB quer lançar Agmar Ribeiro, mas um aliado do prefeito Zé Luiz é peremptório: “Ele tem problemas judiciais e não deve disputar a eleição”. A postulante do PP acredita que, se for candidato, Agmar tem “apelo eleitoral”.

“Gestão deve ser mais produtiva”

O plano de governo de Sirlene Borba está sendo elaborado por uma equipe, mas ela quer ouvir a sociedade, sobretudo os segmentos organizados, para que não seja apenas um documento teórico. “Se eleita, projeto fazer uma gestão moderna. Precisamos de gestores públicos comprometidos com serviços de qualidade. A gestão tem de ser voltada para as pessoas, para melhorar a qualidade de vida de todos, notadamente dos mais pobres. Ao mesmo tempo, o administrador precisa ter ampla responsabilidade com a questão financeira, com a aplicação dos recursos públicos. É preciso ser transparente com as informações, pois a população precisa saber quais são os recursos e onde estão sendo aplicados. Gestão e ética precisam andar juntas. O prefeito precisa também ter bons contatos em Brasília, como eu tenho. Basta de leigos na prefeitura, de pessoas que não sabem dialogar com as bancadas de deputados e senadores. O prefeito precisa profissionalizar a gestão, torná-la mais produtiva para a sociedade.”

Alexandre Baldy com João Doria: o ex-ministro e secretário dos Transportes do governo de São Paulo vai participar da campanha de Sirlene Borba | Foto: Divulgação

“Rubiataba é um município carente de empregos e é preciso melhorar a renda dos que já trabalham”, afirma Sirlene Borba. “Se eleita, pretendo construir uma escola com o objetivo de identificar talentos. Será uma escola de tempo integral. Penso em cursos profissionalizantes, quer dizer, realmente voltados para o mercado e para gerar novas oportunidades. Um dos meus objetivos é criar um cursinho para preparar as pessoas para concursos públicos”, assinala Sirlene Borba. “Pretendo também incentivar as empresas locais, buscando parcerias com a Caixa Econômica Federal e o Sebrae. O objetivo é que elas contratem mais trabalhadores e, também, os paguem melhor. Rubiataba é uma cidade voltada para o cooperativismo. Um tio, José Leivino Borba, foi precursor do cooperativismo na região.” Ela postula que a prefeitura deve ser uma usina de criatividade para melhorar a vida dos cidadãos de Rubiataba.

Um conjunto habitacional para pessoas carentes está no radar de Sirlene Borba. “Quer criar programas modernos de assistência social, que tanto farão a assistência quanto darão a qualificação profissional. Há pessoas que não recebem nem a Bolsa Família nem a Renda Cidadã. O Vale-Gás, já distribuído por algumas prefeituras, é uma ação positiva.”

Sirlene Borba: “Hoje, a mulher é obrigada a dar à luz em maternidade de Ceres. Quero mudar isto” | Foto: Divulgação

Experiência de 30 anos na Caixa

Sirlene Borba trabalha na Caixa Econômica Federal, a CEF, há 30 anos. “Fui gerente geral de agências, por mérito, em Goiânia, Rubiataba, Anápolis, Uruaçu, Ceres, São Luís de Montes Belos, Santa Terezinha, Itapaci. Sofri perseguição política, mas nunca misturei o trabalho com política. Tenho MBA pelo Ibmec em Gestão de Negócios, Pessoas e Planejamento. Sou formada em Pedagogia e bacharelanda em Direito pela PUC-GO. Quer dizer, estou qualificada para administrar Rubiataba de maneira tanto moderna quanto criativa.” Sublinhe-se que, mesmo aposentada, Sirlene Borba continua trabalhando na Caixa.

Casada, Sirlene Borga tem dois filhos. Uma filha é médica em Brasília, e trabalha no Hospital Oftalmológico Pacini. O outro filho estuda Medicina em Anápolis. “Frise-se que hoje não se faz partos em Rubiataba. As mulheres da cidade são obrigadas a dar à luz em Ceres ou em outros municípios. Por isso, com o apoio dos deputados Adriano do Baldy e Delegado Waldir, pretendo construir uma maternidade no município. É um dos meus sonhos e sei que também é o sonho dos moradores de Rubiataba.”

Sirlene Borges diz que não é adepta de “promessas vãs”. “Mas vou trabalhar para que Rubiataba tenha uma unidade da Unirg — universidade de prestígio de Gurupi, no Tocantins. Rubiataba tem um hospital municipal de qualidade e pode servir à residência médica. Isto, é claro, pode atrair uma unidade do curso de Medicina da Unirg. O engenheiro civil Simão Pedro, que deve ser o coordenador de minha campanha eleitoral, mantém contato com o pessoal da universidade. Esclareço que, para ser honesta com os moradores de Rubiataba, que ainda não há nada acertado.”

Ao final da entrevista, o repórter insistiu: “Mas quem você avalia que vai enfrentar mesmo?” A líder do Progressistas pensou durante alguns segundos e, finalmente, disse: “O Zé Luiz e o padre”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.