O capital político de Silvye Alves, do União Brasil, é gigante em Goiânia, onde obteve 117.297 votos (em todo o Estado conquistou 254.653 votos). Sozinha, ficou com 15,69% dos votos da capital goiana. O segundo colocado, Gustavo Gayer, do PL, obteve 83.604 votos na cidade fundada por Pedro Ludovico.

Adriana Accorsi, que deve ser candidata a prefeita pelo PT, conquistou 44.560 votos (5,96%) em Goiânia.

Dado seu imenso capital eleitoral, Silvye Alves é cotada para disputar a prefeitura. Uma pesquisa, feita recentemente, aponta a política do União Brasil como líder para prefeita, seguida por Gustavo Gayer, pelo prefeito Rogério Cruz, pelo senador Vanderlan Cardoso e pela empresária Ana Paula Rezende (filha de Iris Rezende).

É muito cedo para avaliar o quadro, porque, se os políticos começam a articular, ainda não há definição de candidaturas. Mas a tendência é que aqueles que foram bem votados na capital sejam candidatos a prefeito.

O senador Vanderlan Cardoso, do PSD, diz que “não”, mas aliados sugerem que deve ser candidato a prefeito.

Até Gustavo Mendanha, que obteve 237.899 votos (31,17%) votos no município, teria feito uma consulta a respeito da possibilidade de ser candidato a prefeito. Advogados teriam dito que, devido à conurbação entre Aparecida de Goiânia — onde o militante do Patriota foi eleito e reeleito em 2016 e 2020 — e capital, Mendanha não pode ser candidato em 2024, porque estaria, de acordo com a análise, disputando um terceiro mandato seguido. Mas ele pode ser candidato a vereador.