Reprodução

José Essado (saindo do MDB) precisa tomar “memoriol”. Em recente encontro organizado pelo caiadismo (e pela “Arena 2”, como está sendo chamada a dissidência liderada por Adib Elias), o ex-deputado disse que, como oposição ao tucanato, jamais aceitaria compor, politicamente, com o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). Como diria Lula da Silva, é “menos verdades”.

Tempos atrás, José Essado negociou adesão à base do governador Marconi Perillo. Ele manteve conversas — republicanas, diga-se — com o tucano-chefe. Só não integrou a base aliada porque o deputado federal Roberto Balestra (PP) — que disputa com o ex-prefeito as bases políticas de Inhumas — vetou a aliança. Como escreveu o jornalista e escritor Ivan Lessa, “de 15 em 15 anos, o brasileiro se esquece dos últimos 15 anos”. Parece ser o caso.