A Secretaria de Desenvolvimento Econômico do governo de Goiás estaria reservada para um deputado federal. Mas, como a maioria dos parlamentares não quer assumir cargos no governo do Estado — alegando que as secretarias não têm dinheiro e que até os fundos estão contingenciados pela Secretaria da Fazenda —, pode-se optar por uma solução mais caseira.

O que se sabe é que Luiz Maronesi não permanece como titular.

Com a venda da Celg, e uma ligeira recuperação da economia, o governo terá dinheiro para investimentos. É um alento.