O deputado federal José Nelto, do pP, diz que, “se quiser vencer em Goiânia, e não apenas competir, a base governista tem de lançar um candidato novo e moderno”.

“O melhor nome da base governista é o presidente da Assembleia Legislativa, Bruno Peixoto. Assembleia é, por sinal, uma espécie de prefeitura gigante. Ele é goianiense, foi vereador e é deputado. Tem experiência política. E a cidade está precisando de um político para destravar a gestão. Aquele prefeito que é meramente gestor, sem experiência política, não consegue fazer o que Maguito Vilela fez em Aparecida de Goiânia, o que Iris Rezende fez em Goiânia e Ronaldo Caiado está fazendo em Goiás. Eles fizeram a gestão avançar, não porque, desde o início, eram gestores — tanto que nenhum deles é formado em Administração de Empresas —, e sim porque eram políticos (Ronaldo Caiado é)”, afirma Zé Nelto.

“Bruno Peixoto é moderno, jovem, não está no fim da linha. Ele quer crescer, avançar. E, com sua vontade de fazer, a cidade crescerá junto. Se Bruno disser que irá plantar 1 milhão de árvores nas margens do Rio Meia Ponte, acredite: ele o fará — e com meu total apoio. Porque é capaz, tem energia. O deputado acorda cedo, não tem preguiça, recebe todo mundo e agrega. Quando os que dormem acordarem Bruno estará com um exército eleitoral tão grande que até os adversários, como Vanderlan Cardoso — um político superado —, vão ficar assustados. Bruno é o cara. Anote e me cobre depois, se quiserem”, postula o parlamentar do pP.

José Nelto, deputado federal pelo pP: “A Assembleia Legislativa de Goiás é maior do que a maioria das prefeituras do Estado de Goiás; portanto, Bruno Peixoto é um gestor” | Foto: Leoiran/Jornal Opção

“Ao contrário de outros políticos, que ontem estavam com Marconi Perillo e agora fingem que estão com a base governista, Bruno Peixoto é leal tanto ao vice-governador Daniel Vilela quanto ao governador Ronaldo Caiado. Em 2026, quando Daniel Vilela precisar de apoio para disputar o governo de Goiás e quando Ronaldo Caiado precisar de apoio para disputar a Presidência da República, Bruno estará lá, firme e sólido, nos seus palanques virtuais e nas ruas”, sublinha José Nelto.

O deputado frisa que as pesquisas de intenção de voto vão mostrar a seguinte realidade: “Aos poucos, Vanderlan Cardoso vai cair, Adriana Accorsi, do PT, subirá um pouco e Bruno Peixoto dará saltos, acabando por ir para o segundo turno em primeiro lugar. Dos três, é o mais político, e o que mais agrega. Não vou ficar surpreso se o segundo turno tiver Bruno Peixoto versus Adriana Accorsi. Vanderlan Cardoso vai ser o cavalo ‘boliguaio’ (mistura de paraguaio com boliviano) de 2024 — sairá na frente e chegará em terceiro ou até em quarto, porque pode perder até para Gustavo Gayer, do PL”. (E.F.B.)