Roller, Vale e Nelto podem se filiar ao DEM pra passar a ideia de que Vilelas estão sós

Montagem

Se o MDB não apoiar a candidatura de Ronaldo Caiado para governador, a cartada do irismo será operar uma onda de filiações ao DEM. Os prefeitos de Formosa, Ernesto Roller (parente do senador), e de Rio Verde, Paulo do Vale, estariam com as fichas de filiação nas gavetas de seus gabinetes — à espera de um sinal verde. O prefeito de Catalão, Adib Elias, reluta em deixar o emedebismo, com o qual tem ligação histórica.

Já o deputado estadual José Nelto, que pretendia disputar mandato de deputado federal, pode se filiar ao DEM com o objetivo de disputar mandato de senador. Há quem aposte que, se ficar no PMDB, Nelto não se elege deputado federal e seus votos serviriam unicamente para eleger Iris Araújo. Os dois não se dão e falam mal um do outro só em três turnos: de manhã, à tarde e à noite. Na madrugada descansam a língua para retomar o falatório no dia seguinte.
O objetivo dos neocaiadistas é passar a ideia de que Daniel Vilela, pré-candidato do MDB a governador, está ficando só.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Luciano Almeida

Se Daniel Vilela tivesse mais conhecimento sobre a história política de Goiás – e a percepção acurada do momento político – buscaria estabelecer uma aliança republicana com Marconi Perillo. Afinal, as origens de Marconi estão no MDB e sua saída deste partido foi forçada por Iris Machado. Convenhamos, há muito mais afinidade na formação democrática, sócio-cultural e até espiritual entre os Vilela e Marconi – e as respectivas bases – do que com Caiado e Iris – e seus fanáticos devotos. O pior é que os mais ferrenhos adversários de Marconi no MDB acreditam que Iris é um deus –… Leia mais