Recursos Humanos da Cicopal contesta notícias de demissão na empresa, em Senador Canedo

A gestora Andressa Zirretta diz que a empresa está em expansão e fez contratações na filial de Luziânia

A gestora de Recursos Humanos da empresa Cicopal, Andressa Zirretta, contesta nota publicada no Jornal Opção a respeito de demissões na empresa. Zirretta frisa que as informações divulgadas pelo Jornal Opção — a partir de entrevistas com um vereador e alguns dos demitidos — “não são verídicas”. A empresa não teria demitido 30% de seus trabalhadores. A gestora garante que “a empresa não está demitindo; muito pelo contrário, está abrindo mais filiais (como é o caso de Luziânia) e está fazendo alguns ajustes para melhorar ainda mais a produção e a qualidade de vida dos trabalhadores, que é uma das maiores preocupações do proprietário da Cicopal, Vanderlan Cardoso”.

Alguns dados apresentadores pela Cicopal

Zirretta sustenta que, desde janeiro de 2015, a Cicopal admitiu, no Estado de Goiás, “152 colaboradores em todas as áreas (segundo documento oficial Caged);”

“Terceirizamos algumas áreas — gerando mais empregos e renda para Senador Canedo e região;”

“Ampliamos nossa capacidade produtiva;”

“Investimos em novos maquinários na área da produção;”

“Finalizamos a obra da biblioteca que estará disponível a todos os trabalhadores e população de Senador Canedo. Estamos ampliando o refeitório, salas de treinamento, auditório, sempre com a intenção de privilegiar os colaboradores e moradores do município de Senador Canedo.”

“Tivemos aumento das vendas, com acréscimo de cerca de 15%, devido a todos esses investimentos feitos, comparados com ano de 2014.”

“Apesar da crise que o Brasil está enfrentando, o Grupo Cicopal continua investindo, abrindo novas oportunidades de trabalho e acreditando em um futuro melhor para nosso país.”

Nota da Redação do Jornal Opção

O Jornal Opção conversou com vários dos demitidos. Eles existem e não são poucos. Numa conversa gravada, por telefone, Vanderlan Cardoso admitiu que algumas demissões foram feitas e que a empresa está passando por um processo de terceirização de parte de sua mão de obra (uma forma de reduzir custos e responsabilidade sociais) — o que, estranhamente, a gestora de Recursos Humanos omite. Vanderlan Cardoso também confirmou que está investindo fora de Senador Canedo, em Luziânia (o que a gestora admite) e fora de Goiás (o que a gestora não menciona).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.