Raquel Teixeira é cotada para vice de José Eliton e José Vitti para suplente de Marconi

O PP de Alexandre Baldy, o PTB de Jovair Arantes e o PSD de Thiago Peixoto estão na luta pela vice

Fotos: Divulgação

Aquele que disser que está “vendo” o quadro político-eleitoral de 2018 com “extrema clareza” está precisando mesmo de lupa. Quem apostaria, a um mês, que o deputado estadual Lincoln Tejota, do Pros, se tornaria candidato a vice na chapa de Ronaldo Caiado? Nem seu pai, a raposa política Sebastião Tejota, acreditaria na “hipótese”. Até o dia 5 de agosto, quando terminam as convenções partidárias, vai prevalecer as trevas e não a “claritude”.

Na base governista, três nomes da chapa majoritária estão definidos: o governador José Eliton (PSDB), os dois postulantes ao Senado, a senadora Lúcia Vânia (PSB) e o ex-governador Marconi Perillo. Faltam apresentar o vice e os suplentes de senador.

O deputado federal Thiago Peixoto chegou a ser o mais cotado para vice. Mas, ante a resistência do presidente do PSD, Vilmar Rocha — que prefere vê-lo disputando a reeleição (há um compromisso com o presidente nacional do partido, Gilberto Kassab) —, novos nomes surgiram. O vice-prefeito de Anápolis, Márcio Cândido, chegou a ter seu nome lembrado para vice. Mas cometeu um erro de percurso: foi bancado pelo PTB e não por seu partido, o PSD. Este, se tiver de apoiar um político, apostará em Thiago Peixoto.

A ex-secretária da Educação Raquel Teixeira, que havia sido descartada (porque é filiada ao PSDB, o mesmo partido de José Eliton e Marconi Perillo), voltou à tona. Por dois motivos. Primeiro, é bem avaliada na área dos profissionais da educação. Segundo, porque é mulher. Terceiro, é vista como uma política qualitativa, sem máculas morais. (A chapa de Ronaldo Caiado, pré-candidato a governador pelo DEM, não incluiu nenhuma mulher e, sintomaticamente, sua rejeição é mais alta entre as mulheres do que entre os homens.)

O PP, que alguns chamam de PI — Partido da Indecisão (“ama” Daniel Vilela mas não quer deixar de “amar” José Eliton) —, está numa encruzilhada. Não sabe se banca a empresária Luana Baldy, mulher do ministro Alexandre Baldy, para primeira-suplente de Marconi Perillo ou se tenta emplacar o ex-prefeito de Senador Canedo Vanderlan Cardoso ou deputado federal Heuler Cruvinel na vice.

O PTB pode indicar o deputado estadual Henrique Arantes para vice. Ou outro nome.

A suplência de Lúcia Vânia e, sobretudo, de Marconi Perillo tem sido disputada. O deputado José Vitti (PSDB), o empresário José Garrote (PSDB), a ex-deputada Raquel Teixeira (PSDB) e o ex-deputado Vilmar Rocha (PSD) são os mais cotados. José Vitti ou Vanderlan Cardoso são mencionados para suplente da senadora (ela recuou e não veta mais o nome de Vanderlan Cardoso).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

JUNIOR

Raquel teixeira?

PARACE QUE O MARCONI ESQUECEU COMO SE FAZ POLÍTICA!