PTB decide expulsar filha de Roberto Jefferson e o blogueiro Oswaldo Eustáquio

O partido surgiu para defender os trabalhadores, hoje se tornou uma legenda de direita a serviço de Jair Bolsonaro

A cúpula do PTB decidiu expulsar Cristhiane Brasil, o blogueiro Oswaldo Eustáquio e o pastor Fadi Faraj. Cristhiane Brasil é filha do ex-deputado Roberto Jefferson. “Quero ver”, desafia Cristhiane Brasil.

Cristhiane Brasil e Roberto Jefferson: guerra pelo comando do PTB | Foto: Antonio Augusto/Câmara dos Deputados

Em nota, a direção do PTB disse: “A Secretaria Jurídica do PTB informa que Cristiane Brasil, Fadi Faraj e Oswaldo Eustáquio serão expulsos da legenda. Além disso, Fadi Faraj e Oswaldo Eustáquio responderão por denunciação caluniosa após disseminação de fake news sobre o partido, em especial, contra a vice-presidente Graciela Nienov”.

Roberto Jefferson e Graciela Nienov, sua protegida, articulam a filiação do presidente Jair Bolsonaro ao PTB (o PP teria largado na frente), mas Cristhiane Brasil estaria colocando obstáculo.

No momento, Graciela Nienov está comandando o PTB, desde a prisão de Roberto Jefferson, que ameaçou e continua a ameaçar o ministro do Supremo Alexandre de Moraes, a quem chama de “Xandão”.

Internado no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, Roberto Jefferson ficou ao lado de Graciela Nienov, que ele trata, carinhosamente, por Graci. Ele disse que a filha será julgada pela comissão de ética do PTB.

A guerra é pelo controle do partido, quer dizer, pelo controle do Fundo Eleitoral e do Fundo Partidário.

Contra o legado de Getúlio Vargas

Nenhum morto revira-se no túmulo. Mas, se pudessem, Getúlio Vargas, João Goulart e Leonel Brizola revirariam no túmulo ante o saco de gatos que se tornou o PTB. O partido surgiu defendendo os trabalhadores, sempre com projetos progressistas. Era um partido de centro-esquerda. Hoje, o PTB nada tem a ver com o PTB varguista, janguista e brizolista. Tornou-se um partido de direita, aliado à extrema-direita de Jair Bolsonaro. É um partido de grupos de interesse e não está mais à frente das lutas sociais dos trabalhadores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.