PSL pode expulsar Mauro Carlesse, governador afastado do Tocantins?

O mais provável é que o União Brasil, ante as denúncias de corrupção contra o governador afastado, não aceite a sua filiação

O PSL está em processo de fusão com o partido Democratas. Surgirá, este ano, o União Brasil, o maior e mais rico partido do país. Para a eleição de 2022, terá um Fundo Eleitoral de 900 milhões de reais para seus candidatos em todos os Estados. Ou seja, quase 1 bilhão de reais.

Mauro Carlesse e o aliado Carlos Gaguim, deputado federal | Foto: Esequias Araújo/Secom-TO

No momento, o PSL nacional está examinando, cuidadosamente, a situação do governador afastado do Tocantins, Mauro Carlesse. Como ele dificilmente voltará ao governo, e as denúncias (de corrupção) avolumam-se, é provável que o PSL o expulse, brevemente. Mas há também a possibilidade de se esperar a fusão com o DEM, pois, consumada, o União Brasil não aceitará a filiação de Carlesse.

O fato é que, hoje, Carlesse está queimando o “filme” do PSL no Tocantins. Porém, como, na verdade, o PSL não mandava em nada no seu governo, se Carlesse for expulso, sobretudo a tempo, o partido não restará contaminado. Porém, no momento, os eleitores do Tocantins estão associando o PSL com Carlesse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.