A tese é mais ou menos a seguinte: ou o PSDB acaba com o senador Aécio Neves ou Aécio Neves acaba vez com o PSDB

Foto: divulgação

Dizia-se, nos tempos de antanho: “Ou o Brasil acaba com as saúvas ou as saúvas acabam com o Brasil”. Na política atual, trocando o Brasil pelo PSDB e as saúvas por Aécio Neves, a formulação é a seguinte: “Ou o PSDB acaba com Aécio Neves ou Aécio Neves acaba com o PSDB”.

Não será nenhuma surpresa se Aécio Neves for preso em 2019. Se for, o desgaste do PSDB será ampliado. A revista “Veja”, na coluna “Radar”, assinada por Maurício Lima, relata: “Em janeiro, Aécio Neves vai receber uma comitiva de líderes do PSDB. O assunto: um pedido para que se licencie do partido. Se não o fizer, a expulsão será iminente”.

A licença é uma porta que se abre para a expulsão. Como dificilmente terá como provar sua inocência, Aécio Neves certamente ficará sem partido ou terá de se filiar num nanopartido, desses que aceitam todo e qualquer político para escapar do cerco da cláusula de barreira.