Projeto de Virmondes é exemplo do que a política anda precisando

Proposta de marco legal do descarte e reaproveitamento do lixo tecnológico une inclusão social e proteção ambiental

Virou rotina dizer que o debate político se tornou tedioso e até inócuo no Brasil em função da bipolaridade entre o lulopetismo e o bolsonarismo. A impressão não é de todo errada, dado o volume de tráfego que esses grupos produzem nas redes e o status atual das pesquisas de intenção de voto.

Contudo, é preciso observar (e quem sabe vivenciar) a cena política para entender que há engajamento e substância intelectual mais interessantes por baixo da crosta do radicalismo. Trata-se de uma semente de esperança, que requer cuidados para prosperar.

Veja um exemplo entre alguns disponíveis em Goiás: na quarta-feira, 18, o deputado Virmondes Cruvinel apresentou na Alego um projeto que cria um marco legal para o descarte e o reaproveitamento de equipamentos eletrônicos, visando promover, ao mesmo tempo, inclusão digital e proteção ambiental.

Virmondes Cruvinel: deputado estadual pelo União Brasil | Foto: Maykon Cardoso/Alego

Apesar de sua evidente relevância (porque, hoje, o lixo tecnológico é produzido em alta escala até nas periferias do capitalismo), a ideia do projeto não é o que mais chama a atenção na iniciativa do deputado.

Por incrível que pareça, nesses tempos de maniqueísmo míope na política, chega a ser surpreendente quando um jovem parlamentar, como Virmondes, se movimenta na Assembleia Legislativa operando com uma ideia de alto nível.

No modorrento debate entre extremos nas redes sociais, o que normalmente se vê são agentes (ou proto-agentes) políticos procurando o que se convencionou chamar de “lacração”. Sim, na lama, o que se busca é o meme, a trolagem, o “fait-divers” abaixo da linha da cintura capaz de romper a bolha de cada extremo.

Por isso é preciso regar a semente da boa política. Aquela que opera de verdade para melhorar a vida das pessoas. Para continuar no mesmo exemplo, vale citar que o mencinado projeto do deputado Virmondes vislumbra que a sucata tecnológica possa ser disponibilizada para oficinas nas quais será recondicionada em novos produtos para serem usados por jovens carentes.

Em vez de perder tempo com blábláblá corrosivo, a política precisa urgentemente apresentar soluções fáticas para os graves problemas econômicos do país. As soluções não virão do ódio lacrador, mas da ponderação e da força das boas ideias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.