Eles vão usar a eleição de 2020 como preliminar da disputa de 2022 e de 2024. Vão colocar o time em campo para marcar posição

Professora Geli: pré-candidata do PT em Anápolis | Foto: Reprodução

Como sabe que os votos de Antônio Gomide não são do PT, mas dele, por causa de suas administrações com prefeito, a pré-candidata do PT a prefeita de Anápolis, Professora Geli, tem dito aos aliados que tem de trabalhar em dobro. O petismo tinha expectativa de poder, com o deputado estadual, e agora precisa reconquistá-la — o que não será nada fácil. Até porque a expectativa de poder agora está nas mãos do prefeito Roberto Naves, do Progressistas.

Roberto Naves, visto como favorito e comandando uma frente política gigante, descolou de seus concorrentes.

Por isso, Professora Geli, agora no pelotão intermediário, é a postulante a ser ultrapassada. Todos querem superá-la para tentar se aproximar do prefeito.

Pedro Paulo Canedo e Márcio Corrêa: o vice e o candidato a prefeito? | Foto: Divulgação

O dentista e empresário Márcio Corrêa, pré-candidato a prefeito pelo MDB, começa a trabalhar com o objetivo de ultrapassar Professora Geli e tentar se aproximar de Roberto Naves. Missão difícil, mas é o seu projeto daqui pra frente. O mesmo ocorre com Valeriano Abreu, cujos aliados postulam que será possível superar tanto a Professora Geli quanto Márcio Corrêa.

Hoje, mesmo os adversários de Roberto Naves postulam que será muito difícil, talvez até impossível, superá-lo. Se é assim, qual é o jogo real de Professora Geli e Márcio Corrêa?

Claro, os dois têm esperança de que poderão crescer. Mas não estão jogando somente para o presente — suas candidaturas são apostas no futuro. Em 2022, tanto Professora Geli quanto Márcio Corrêa deverão disputar mandato de deputado estadual. Já em 2024, quando Roberto Naves não poderá disputar, se tiver sido reeleito em 2020, os dois serão mais conhecido e terão mais chance na disputa eleitoral. Na eleição de 2020, sabem que serão coadjuvantes do prefeito do PP.