Conta-se que, de manhã, ao levantar-se, o prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), corre para o espelho e, ao ver sua imagem, pergunta: “Estou bem na Prefeitura, não estou?” A imagem, mesmo envergonhada, é condescendente: “Está bem demais. Eu adoro você. O problema são os goianienses, que não aprovam sua gestão”.

O problema-chave de Paulo Garcia, um político decente, é que não assume que os problemas da Prefeitura de Goiânia decorrem de sua falta de aptidão para a gestão pública e para a lida política.

Enquanto responsabilizar terceiros — como o governador Marconi Perillo, o presidente da Agetop, Jayme Rincon, e a imprensa — por seus problemas, que são muitos, o petista-chefe não vai conseguir resolvê-los.